A arte reinventa o homem…

Pintura, escultura, dança, música, cinema. Todos podem ser definidos como arte: técnica que o homem possui de expressar ou de despertar sentimentos, críticas e até mesmo pensamentos de uma certa época ou de um determinado contexto social. A importância da arte na vida humana é imprescindível, pois — entre outras questões — desenvolve o senso crítico e quebra paradigmas antes tão cristalizados.

Uma sociedade que valoriza a arte é, sobretudo, uma sociedade que entende que o dinamismo artístico participa e (re)constrói sua própria identidade a cada momento em que é renovada. Aquela que, por sua vez, censura ou não atrabui valor a isso aliena e não estimula seus cidadãos a pensarem por meio de multiplos olhares. Limita, de certa maneira, a liberdade de expressão e impõe uma visão unilateral do que a vida e o mundo são ou podem ser.

Não há dúvidas, a partir disso, que todo tipo de divulgação artística é fundamental. O investimento proporciona uma cultura democrática se garante o acesso às produções que apresentam diferentes perspectivas sobre as questões humanas.

Cabe ao governo fazer esse trabalho, à escola instruir sobre esses processos, à mídia divulgar ainda mais esses saberes. É preciso mostrar ao homem como reiventar e como ser reinventado cotidianamente — mesmo que esse seja um longo e difícil caminho a ser percorrido. A valorização da arte deve ser vista não apenas como meio de promover entretenimento, pois, ao mesmo tempo em que é fruto do trabalho humano, é capaz de reconstruí-lo, dando não só ferramentas para organizar transformações, mas também cores para representar seus medos, suas lutas, suas dúvidas, suas contradições

e suas gerações futuras.♡

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.