FAZ

Segura meu cabelo com força. Aperta meu pescoço, nem tão leve. Beija minha boca como se não tivéssemos deixado o medo enrijecer nossos corações. Me faz esquecer por que me afastei de relações. Espero fazer o mesmo por você.

Me deixa pensar só no que somos agora e manter la atrás as escolhas erradas que fiz, os momentos estranhos que passei, o buraco de sentimentos ruins onde optei viver durante um bom tempo, por que sim, nós somos o agora e eu quero te viver.

Me abraça e faz com que esse emaranhado de coisas que não sei explicar e que gritam em meu ouvido, se calem. Me faz lembrar dos encontros engraçados que temos e sorrir me sentindo meio adolescente. Mais de uma década me afasta dessa fase, mas é gostoso sentir o coração descompassar quando o assunto acaba e a pele arrepiar com seu abraço quente.

Pega minha mão com firmeza e me leva pelos caminhos que você conhece. Me deixa entrar de leve no seu mundo. Conhecer o que você gosta. Ouvir as músicas que são seus temas de vida. Me permite mexer nos seus cabelos, enquanto nos fazemos silêncio. Me dá a chance de ser quem eu sou, sem essa porra de medo que me toma.

Sou meio fria, calada e observadora, mas posso ser o total oposto de tudo isso. Se permite estar comigo enquanto eu permeio entre meus mundos. Não me cobra nada e eu não cobro de você. A gente deixa esse rio que nos faz vivos seguir seu fluxo naturalmente. Leve e tranquilo.

Não some quando eu não puder oferecer algo além do que tenho.

Deixa eu beijar seu pescoço com a boca entreaberta. O lábio meio úmido e passar de leve a ponta da minha língua na sua carne. Eu adoro fazer isso! Fecha os olhos e ouve com calma e atenção o que vou sussurrar nos seus ouvidos. Observa bem meus olhares. Eles falam tanto por aquilo que as vezes não ultrapassa o nó apertado que tenho na garganta.

Acompanha meu sorriso ou minha gargalhada, mas se meu olho encher de lágrimas, me deixa sentir quietinha. As vezes a dor que eu enterrei bem fundo volta e acena só pra me provocar.

Quando acontecer de eu abrir a jaula pra besta indomável que mora em mim, esteja consciente. Se você quiser ficar cara a cara com ela, deixa rolar. Se tiver medo, me segura com firmeza e me amansa.

Tira nossas roupas e me abraça apertado. Respira fundo junto comigo e deixa nossos corpos entrarem em sintonia com aquilo que inunda o universo.

Sejamos ar.

Sopro de vida.

Fôlego.

Alívio.

Mergulha comigo nessa água turva e fria que eu sou.

Lá no fundo, te ensino a nadar em mim.