Pernas

Sentada no chão do metrô, imersa em um mar de pernas: Pernas altas. Pernas finas. Pernas largas. Pernas que deviam querer correr mas foram proibidas de querer. Pernas docilizadas: só se movem contra o chão, flexionam o joelho ou batem os pés num ritmo irritadiço e acelerado. Não se movem para onde querem: inquietas, porém, contidas. É o ritmo que toca a vida adulta e contrapõe à melodia da prisão urbana: o descontentamento passivo refletido em carne e osso.

2/2016