Poema brega juvenil

Seu toque me faz parecer veludo. Me beija como se eu pudesse te saciar. Se nossa música cair em desuso. O vento não vai para de dançar.

Não sei se somos canção eternizada ou mero hit popular, não sei se virei peça do seu jogo ou se sou a dama que costumava amar.

Só sei que quando me gosta, me faz sentir como se meu gosto fosse, do universo inteiro, o sabor mais peculiar.

Perdida nos seus braços, desejando seus abraços, sorri e brinca com meus cachos e me penetra, com seu olhar.

A vida é mesmo uma farsa quando sempre me entrelaça seu gosto com o meu paladar, mas se quer saber o que me embaraça e o que me tira toda graça, é quando sutilmente vai embora e não me diz se vai voltar

05 de junho de 2015