Não sei se é uma coisa bonita ou triste mas me senti livre pra ser só eu pela primeira vez com você.
Sem nenhum tipo de cobrança ou de falsa esperança, só eu e isso ser o suficiente.
Pela primeira vez não existia mesmo um você é livre "porém", você me aceitou livre, por completo, ou pelo menos fez com que eu me sentisse assim. E a partir disso senti dentro de mim que eu cresci, que muito do que era meu de mais puro acordou.
E talvez seja meu - e é - a dificuldade com regras, com qualquer restrição a liberdade, de entender que não é tudo de todos, que as coisas e as pessoas se pertecem e de alguma forma ninguém se olha como igual ou vê além dos filtros que foram construídos e mantidos por tanto tempo. Talvez seja meu - e é - essa vontade de ocupar, de espalhar, de crescer, de transitar livremente em todos os sentidos. Sem barreiras de espaço, sem barreiras de tempo, sem limitações. Não que as limitações não existam, mas elas podem ser simplesmente motivos para te fazer crescer. 
Quando te falei que entendia o porquê dessa distância que existe agora, foi por sentir que ainda preciso crescer em muitas coisas para que isso seja possível, de um jeito saudável. Tive a sensação que de alguma forma a vida me mostrou pelo amor tudo aquilo que eu preciso desenvolver para alcançar a felicidade e o meu desejo mais antigo: alguém que me compreendesse e quisesse me acompanhar.
De alguma forma olhar pra tudo que eu preciso fazer não parece mais um fardo. Ainda pesa e me causa reações antigas, mas agora existe um caminho a seguir e ele leva as duas coisas que sempre me motivaram e sempre foram a minha busca, equanto realizações pessoais. Essas duas coisas são o amor e a liberdade.
Liberdade de ser o que quer que você seja, sem que isso interfira na liberdade do outro. E o amor, algo que não se explica, só se sente, que é essa energia que preenche, cria e, até onde meu conhecimento alcança, é o sentimento mais nobre e plural aqui nesse planeta. 
Ainda preciso construir aqui dentro muito, pra que antes de qualquer coisa eu seja quem desperta esses sentimentos, essa é a maior libertação e a maior prova de amor. A partir daí eu posso ser meus ideais e aí ter algo pra te oferecer, porque serei completa.
Com o pouco do que construi de amor, posso dizer que te amo e espero explorar o mundo com você.
Com amor,
Tamara.

A single golf clap? Or a long standing ovation?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.