Conecte-se

Antes que você tenha tempo de pensar que este artigo fala sobre tecnologia, conectividade, internet, pode ir parando por aí!

O que eu quis dizer com o título é que é preciso se conectar a alguma coisa maior que si mesmo.

No fundo, eu acho que a gente tem uma necessidade quase intrínseca de se conectar. Se não, esses lances de smartphone, rede social, wifi, não fariam tanto sucesso.

O problema é que às vezes a gente faz as escolhas erradas, ou escolhas menos certas.

Não to falando que se conectar à tecnologia seja errado, só comecei a refletir que pode ser que essa vontade, essa necessidade que temos esteja sendo canalizada de outra forma.

Você já parou para pensar no que você se conecta? Com quais pessoas? Durante quantas horas por dia?

Esses dias eu estava esperando em um hospital, não tinha nada que eu pudesse fazer a não ser esperar, quando olhei para o céu.

Quando eu morava com a minha mãe, via a lua todas as noites. Na casa onde eu moro hoje, a minha varanda fica numa posição que eu não vejo a lua nunca. E eu acabei de descobrir que sinto falta dela. Já tinha meio que percebido essa saudade tem um tempo, mas só agora me caiu a ficha de como isso é importante pra mim!

Eu sempre tive essa coisa com a noite e não poder ver o nosso satélite faz parecer que falta alguma coisa no céu que eu vejo.

Descobri que eu sinto falta da lua. De me conectar com ela, me inspirar por causa dela.

Algumas das minhas melhores poesias foram escritas às 3h, 4h da madrugada. Eu tive insônia durante grande parte da minha adolescência e, às vezes, era só pisar na varanda de casa e olhar para a lua, que uma ideia vinha, eu escrevia e depois conseguia adormecer e descansar.

Era como se a lua me energizasse de uma forma tranquila. Um troço muito louco, você deve estar pensando… mas é sério.

Essa história toda é pra dizer que é bom parar para refletir sobre o que faz bem pra gente. Será que é bom estar o tempo todo conectado? Será que você sente falta da natureza? Será que você se conecta mesmo estando off-line?

Há quanto tempo você não olha pro céu? Desde quando você não toma um banho de cachoeira? Quando foi a última vez que você se sentiu na presença de Deus?

O mundo muda muito rápido, o tempo passa rápido, tudo acontece muito rápido e será que esse é o ritmo que a gente quer pra nossa vida? Essa imposição tem saída?

Não precisa me responder todas essas perguntas, só quero que durante os poucos minutos em que você lê este artigo, você pense nas respostas. E se não souber, busque mais fundo, vasculhe a sua consciência, examine as suas escolhas.

Me faz uma falta danada estar em contato com a natureza. Tomar banho de mar. Pisar descalça na grama. Sentir os raios do sol aquecendo a minha pele. Sentir o cheiro do orvalho.

Talvez eu esteja precisando de uma desintoxicação virtual. Sei lá, passar uns dias esquecendo de propósito o celular em casa. Para ter a oportunidade de repensar o que é realmente importante na minha vida.

Se você já sentiu aquele mini ataque cardíaco ao colocar a mão no bolso e não sentir o celular talvez saiba do que estou falando. Ou de sair de casa sem ele e se sentir completamente desarmado.

Pode ser que esteja na hora de se conectar com outras coisas, com outras “tecnologias”. Me disseram que esse lance de olho no olho voltou a ficar na moda, quem sabe não pega?