Eu não precisava estar acordando essa hora... o despertador ainda tá programado, deve ter sido por conta dos meus tumultuados sonhos da noite passada. Enfim, olho pro lado e dou de rosto com a pele mais imaculada, mais suave que conheço. Fico assim... só deliciando meus olhos nela. Os fios de cabelo loirinhos estão emaranhados por conta das xuquinhas q insistem em dormir com ela... mas ainda assim, mesmo bagunçados deixam à mostra a pintinha que é um dos charmes e o que não nega sua origem, de onde e de quem veio.. a quem duvidar um dia, ali está a prova que vem de mim. Os olhos "bolitas" e sempre ávidos por uma observação, agora repousam em lindos e delicados cílios pequeninos. Também observo os pelinhos clarinhos acima, que ensaiam lindinhas sobrancelhas.. aliás um dos lugares favoritos dos meus toques. Vc já correu os dedos nas sobrancelhas de uma criança? É uma delícia... seu nariz é um dos lugares que mais recebe meus beijinhos competindo legal com as bochechas que agora estão rosadas do calor das cobertas. A boca tem sua delicadeza, é pequena também, tem um brilho especial como se tivesse molhada, mas não, é pura graciosidade... agora está fechada e repousando merecidamente. Tive q rir por dentro pra não acordá-la, lembrando as frases e observações que têm dito nos últimos tempos, além de lembrar da voz que por ali sai, gostosa para meus ouvidos maternos... Me afasto um pouco e vejo a harmonia da sua face doce. Agora está bem quentinha, embrulhada num pijama branco com corações vermelhos. Sim, ela é todo amor. Contemplo ainda sua mão, é grande, não tem mais aquela mãozinha minúscula que toda mãe poderia enquadrar pra não ver crescer. Vejo um pequeno aranhão numa das mãos, deve ser por causa que não param nunca. As unhas estilo "televisão" iguaizinhas às do nôno, só mais encardidas por conta de uma terrinha que insiste em permanecer nas mãos de criança que brincam com terra e areia.. uma graça... Queria poder ver mais.. mas o frio não permite dali em diante a coberta me impede, então, fico aqui imaginando... como estão seus pezinhos, pernas no mínimo cheio de pequenos roxos, denunciando sua sapequice, imaginando o resto todo... imaginando como seria viver ser ela. Não, não consigo isso imaginar, então, deixo o pensamento me levar para outro lado e me dou conta que amanhã é dia das mães e que o maior presente que eu tenho é acordar num sábado frio e ter o privilégio de te observar e saber que quando o despertador tocar, tu vais acordar e fazer meu dia ainda mais especial. E que todos os dias que o despertador tocar, mais e mais dias especiais terei.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.