2016 em uma palavra? Leveza!

Um ano de desapegos, reviravoltas, espírito aventureiro e muito autoconhecimento.

Foi difícil escolher uma só palavra para definir um ano tão incrível e cheio de momentos inesquecíveis como 2016! Momentos estes que muitas vezes não passaram de algumas horas andando sem rumo no carro com a melhor companhia que poderia ter pelas ruas do Mangabeiras com muitas risadas, água de côco e música alta.

Partindo da simplicidade e grandiosidade desse exemplo, me veio à cabeça um episódio específico que vivenciei: um amigo querido, ao final de 2015 em que fechávamos um importante ciclo em nossas vidas, desejou que eu alcançasse “o verdadeiro sucesso” e complementou dizendo que a numerologia previa um ano transformador para nós em todos os sentidos. Tanto porque ambos somos geminianos e nosso ano pessoal estava na casa 9 quanto pelo ano universal constar no mesmo número.

Curiosa, pesquisei melhor na época e descobri que, em resumo, seria um ano bastante desafiador e de muitas reviravoltas em que, de acordo com o site Personare, “antes de tudo, é importante entender que o 9 simboliza o potencial de realizar grandes sonhos” e “em um Ano Pessoal 9 nos deparamos com tudo aquilo que precisa ser concluído, finalizado, resolvido.” Não que eu seja dessas pessoas que acreditam fielmente em tudo que lê ou nas coisas relacionadas à astrologia, mas aquilo ecoou na minha mente. Afinal, fazia todo sentido no contexto em que vivíamos e que também deixávamos pra trás, além dos planos que já tínhamos a intenção de realizar em seguida.

2017 chegou e ao avaliar tudo o que passou, posso dizer que não só pra mim, mas para todos que conheço essa teoria se confirmou. Em grande ou pequena escala, se confirmou. Sem dúvidas, foi um período em que mergulhamos fundo no autoconhecimento (mesmo sem muitos terem se aplicado pra esse curso intensivo, rs), descobrindo nossa força interior e o real significado da palavra resiliência.

Resiliência / substantivo feminino
1. fís propriedade que alguns corpos apresentam de retornar à forma original após terem sido submetidos a uma deformação elástica. 2. fig. capacidade de se recobrar facilmente ou se adaptar à má sorte ou às mudanças.

O que posso dizer, sinceramente, é que o ano passado foi um dos melhores da minha vida! E olha que todos os que se antecederam foram muito especiais também por diferentes e específicos motivos.

2016 foi um ano em que reciclei muita coisa, descartei e adquiri várias outras. Em um momento de mudança completa, me libertei de tudo que não fazia mais sentido manter comigo ou que se foram sem precisar entender o motivo. Fossem “amigos”, sentimentos ou bens materiais… me libertei!

Só eu sei a leveza que abracei ao longo dos 365 dias maravilhosos que vivi intensamente de segunda a segunda, redescobrindo e abrindo novos caminhos, sempre 100% aberta a toda aventura que eu quisesse viver e vivi. De BH a São Paulo. Do Brasil ao Canadá. Me permiti. Me reencontrei; e numa versão muito mais completa e completamente minha.

Tássia Junqueira. Tássia Ferreira Reis Diniz Junqueira. Responsável única e exclusivamente por si, e mais ninguém. De ninguém. Livre de toda e qualquer pressão ou questionamento de sua forte e inegável presença de espírito. Livre da corrida contra o tempo que só a distanciava de si mesma cada vez mais e já não a levava a lugar nenhum. Apenas leve, muito leve e feliz! Voando ainda mais alto, desapegada de todo e qualquer julgamento que possam ter. Dona de si e com asas que, finalmente, se permitiram partir.

E por toda essa leveza vivida durante 12 meses seguidos, tenho por 2016 essa imensa gratidão. Por tudo que deixei ir, deixei voltar, por tudo que ficou, ganhou força, por tudo que conquistei, arrisquei e todas as outras coisas que 2017 tende a superar.

Por fim, é com essa felicidade no peito e um ano novo todo pela frente cheeeeeio de incertezas, novas aventuras e desafios diários que desejo a você que está lendo esse texto ao menos metade do que senti nesse ano que se passou. Segui em frente e continuo seguindo. Sempre sorrindo!

Seja muitíssimo bem-vindo, 2017! Que você torne ainda mais difícil a tradução da respectiva de vida de quem está sempre disposta a viver intensamente e querer mais de si, do mundo, e nunca teve medo de correr atrás disso.

2016, valeeeeeeeeu! Cheers! ❤

(Página, oficialmente, virada)

Foto: Vitor Leão.