Viajar é enriquecer a alma.

“A mente que se abre a uma nova ideia jamais volta ao seu tamanho original.”

Continuo sem pressa, vivendo um dia de cada vez, com o olhar curioso, às vezes desatento e perdido em meio a milhares de pensamentos, aspirações, ansiedade e recordações. Tudo é novo: novo país, novos hábitos, novas regras, nova rotina, novas pessoas, novas experiências, novas descobertas.

É tanta informação no começo que você chega a pensar que não vai conseguir lidar. Um encontro de culturas, de costumes e histórias que, ao mesmo tempo que confunde, te expande. São novos saberes que me fazem sempre pensar na beleza e liberdade que existem ao se permitir. São novas referências em que, internamente, o questionamento sobre o mundo e sua grandiosidade é constante. Você é convidado a sair de sua zona de conforto diariamente.

Vira e mexe, penso o quanto é incrível a oportunidade de conhecer e aprender com as diferenças. Uma vez que me vi nos EUA, aos 16 anos, para uma viagem de apenas 15 dias, nunca mais desejei outra coisa a não ser conhecer cada vez mais desse mundão e continuar quebrando tabus, medos, barreiras e evoluir. Acho que nunca disse ao meu Barrigudo o quanto todo o esforço dele em me mandar junto com minha irmã nessa aventura, mesmo com a sua eterna luta financeira, me mudou [pra sempre]. Isso, dinheiro nenhum do mundo é capaz de pagar! Assim como não tem preço o amor de um pai e uma mãe dedicados e a expansão de uma mente até então limitada em sonhos, equívocos e apenas vontades.

Precisei de uma oportunidade, mesmo sem saber o que ela me traria, para que eu nunca mais parasse de buscar pelo real saber e trabalhar, diariamente, o meu olhar — desde sempre curioso sobre as coisas — a continuar enxergando além do que olhos podem ver. Foi como abrir as portas do paraíso para uma alma cheia de aspirações que, até então, não sabia que podia ir tão longe e aguçar cada vez mais toda a curiosidade e sede pelo conhecimento existente dentro de si. Um mundo novo se abriu.

O que antes era apenas um sonho, um objetivo, hoje é a realidade que vivo.

Viajar é isso. Viajar é aprendizado, é enriquecer a alma. Seja dentro de um Brasil gigante com toda sua diversidade maravilhosa, ou para países distantes com culturas completamente diferentes da sua.

A saudade surgiu lentamente e nos pequenos detalhes do dia-dia que te trazem sempre à mente uma pessoa amada, um momento vivido, um objeto, uma lembrança qualquer. Você então, começa a perceber que registrou pequenas coisas e que essas pequenas coisas são muito especiais pra você.

O resultado de todo esse mix de emoções, percepções e experiências é resumido em gratidão e fé. Não aquela fé religiosa que muito ouvimos dizer, mas fé na vida, em você e em toda a energia que emanamos e volta pra gente de diversas maneiras e nos faz agradecer as pessoas que nos ajudaram no caminho fosse por um momento compartilhado que te deixou mais forte, por serem uma inspiração por um motivo qualquer, por um incentivo recebido ou por sempre acreditarem em você. A verdade é que mesmo por minha conta (literalmente) não foi sozinha que cheguei até aqui.

Cada desafio superado, cada alegria compartilhada, cada pedra no caminho que aprendi a polir e levá-las comigo na bagagem em forma de aprendizado, enfim, tudo aquilo que faz parte do meu passado e que me fez ser o que sou hoje me trouxe até aqui. Clichê, mas a mais pura verdade que sinto dentro de mim. Me sinto um conjunto de tudo aquilo que vivi. Daí a vontade de sempre ir além, pois só assim serei sempre além. Além da pele, do corpo e do material. Um conjunto de tudo que vivi transformado em alto astral, energia contagiante e uma vontade imensa de inspirar, a quem eu puder, a fazer o mesmo consigo.

Por fim, tenho essa vontade de viver, aprender e compartilhar como propósito dessa e de toda minha existência. Com planos, sonhos e aspirações sempre, mas — depois de muito tentar — vivendo um dia de cada vez, sem pressa, aproveitando cada minuto. Não deixando que o amanhã seja um problema que te impeça de viver o hoje e nem de dividir momentos únicos com aqueles que ama ou que acaba de conhecer.

Quando dizem que felicidade é questão de ser, é isso. Eu não estou feliz… eu sou feliz, mesmo quando estou triste. Tem jeito melhor de levar e encarar a vida?

Se tiver, vou descobrir… :)

Foto: Vitor Leão | Vancouver BC