Uma amiga em comum, a Terla, me mandou teu texto.
Teresa Furtado
13

Oi, Teresa.

Bom, no meu caso, o TPS foi detectado como traço no diagnóstico de TEA. Assim, não sei te dizer com certeza qual seria o melhor passo para um diagnóstico independente.

Se o seu caso for como o meu, sem comprometimento motor e focado nos cinco sentidos principais, eu diria que o melhor passo é procurar um psicólogo, já que o diagnóstico adulto se baseia quase todo em questionários e relatos. O problema é que o TPS não é reconhecido como um transtorno independente em manuais como o DSM-V e o ICD-10, e só é reconhecido pelo DC:0–3R, que é um manual voltado para o diagnóstico em crianças. Então é bastante provável que você encontre resistência de alguns profissionais. Nesse caso, um exame neurológico te ajuda a dar mais base quando for se consultar com um psicólogo.

Obs.: Faça uma lista ou um diário do que você sente, porque ajuda muito na hora de explicar tudo o que acontece e com que frequência. Note também as reações que você tem.

Like what you read? Give Tata Lombardi a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.