Ontem deu tudo certo.

Ontem deu tudo errado.

Claro que não foi a primeira nem a ultima vez que eu fiz algo que deu errado. Mas, ontem, especialmente, era um momento que não poderia ter dado errado, mas deu. Era a apresentação de um projeto que amo e que venho trabalhando muito nos últimos meses. E era muito importante para mim.

Comecei a apresentar, a respiração acelerou, esqueci algumas palavras, inventei outras, travei, parei, respirei fundo, tremi por dentro, de alguma maneira, dentro de mim, vários pensamentos passaram correndo. dentro de mim, algo dizia, que eu não merecia estar ali, que as pessoas iam se entediar, que eu não deveria estar falando sobre nada e roubando o tempo das pessoas que ali estavam.

Consegui terminar a apresentação e esperei de pé, e tremendo, pelos comentários. E claro que esperei a pior sessão de feedback da minha vida. Que medo. Que vergonha de mim mesma. A primeira pessoa começou a falar, algumas sugestões sobre como usar melhor o microfone. Outra falou que foi ótima, outro disse que poderia acrescentar uma informação. Pronto. Foi isso.

Sai de lá sem entender nada, nem absorvendo o que tinha acontecido. Só pensava o quanto tinha sido uma péssima apresentação e o quanto que eu estava com vergonha de ter feito isso. Passei o restante do dia me punindo pelo acontecido. Eu sentia muita vergonha e medo do que tinha feito. Me sentia um verdadeiro fracasso. Não conseguia entender como não tinha sido uma experiencia tão ruim para os demais quanto foi para mim.

No dia seguinte, após essa ressaca de sentimentos, olhei para o acontecido com um pouco mais de calma e reflexão. Eis aqui o que consegui enxergar:

  • Eu achei que tinha sido mil vezes pior do que as pessoas realmente viram. Me maltratei muito ao me achar um completo desastre.
  • A minha expectativa de perfeição não me ajudou em nada durante a apresentação. Ao contrário, me fez duvidar da minha capacidade a cada segundo.
  • Ao expor minha vulnerabilidade ali no palco, as pessoas que me escutaram me acolheram de alguma forma e me ajudaram a ser melhor na próxima.

Levo deste dia um grande desafio de ser mais gentil comigo mesma.

A minha apresentação foi feita. E o feito ainda é melhor que o perfeito.

Ontem deu tudo certo.

Papo que me ajudou a refletir sobre isso tudo: Brené Brown — Listening to Shame http://www.ted.com/talks/brene_brown_listening_to_shame?language=en