Será mesmo que eu não conquistei nada?

Já estou com quase 27 anos e penso nisso o tempo todo. Tenho 27 anos e não casei ainda, muito pelo contrário: abri mão de um longo relacionamento pra voltar a viver do modo que eu acho justo. 
Em contrapartida, meus amigos já vivem seus casamentos, seus primeiros filhos. Vivem suas pós-graduações, suas viagens.

Enquanto isso tenho vivido um mar de coisas confusas e experiências malucas das quais não sei bem nem como começar a documentar. Vivi uma par de experiências engraçadas e outras nem tanto assim, mas tão importantes quanto. Fiz coisas que quis fazer e abri mão de muitas outras em benefício próprio.

E mesmo assim quando pensamos no que já fizemos da vida (eu sei que você também pensa) tendemos sempre a nos medir pela régua do senso comum, ou talvez nos medimos pelas conquistas que a maioria à nossa volta faz. Não colocamos em perspectiva que podemos ter uma régua de conquistas que a maioria não tem, mas adoraria ter.

Eu mesma conquistei um monte de coisa nesses dois ultimos anos. Segue uma breve lista:
- Fiz uma meia maratona
- Conquistei independência financeira e saí de casa
- Fui morar SOZINHA apesar de estar namorando há muito tempo, contrariando todo mundo

- Sustento minha vida sem a ajuda de ninguém
- Voei de avião pela primeira vez numa viagem programada de férias. Depois voei de novo por impulso, só porque eu podia. 
- Chutei a bunda de um relacionamento bosta pra cacete pra tentar me entender e ser feliz
- Fui loira, roxa e turquesa em um ano e meio
- Conheci muita gente estranha
- Beijei quantas bocas eu quis
- Falei com muita gente desconhecida

Não comprei um carro, não financiei uma casa, não passei em nenhum concurso do TSE, não fui pra Disney ou pra Europa. Mas fiz tantas outras coisas das quais me orgulhei de ter tido coragem de fazer.

E, se formos parar para pensar, quem sabe nossas conquistas são o brilho nos olhos de outras pessoas? Enquanto pensamos que não temos nada conquistado por que essas coisas são abstratas, muita gente lamenta de não possuir memórias.

Porque olha só que engraçado: O que listei não cabe num Imposto de Renda, mas cabe num texto na internet - ou num diário pra ser guardado debaixo do colchão.

(Baseado numa publicação da giovana no Facebook)

Like what you read? Give Tats Bueno a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.