administrar energia

já falei sobre os três primeiros preceitos do yoga aqui, aqui e aqui.

o quarto preceito do yoga é brahmacharya, e pra esse é bem difícil dar uma tradução simples.

por muito tempo brahmacharya foi traduzido como “celibato”, mas não é celibato. também não é abstinência, como é dito em alguns livros.

fica menos complexo entender brahmacharya quando pensamos que a energia sexual é nossa energia criativa primordial e pensamos, então, em nossa energia. e, logo, em toda energia que nos permeia e rodeia.

pensando em nossa energia e na energia como um todo, podemos entender brahmacharya como a valorização disso. valorizamos nossa energia e não a utilizamos no que não valha a pena.

se a energia está em tudo, então valorizamos nosso corpo, nosso tempo, nosso trabalho, nossos bens, amigos, família.

e sabendo seu valor, podemos administrar nossa energia: quanta energia eu darei agora pra esta coisa aqui.

brahmacharya é, então, a administração consciente e constante de nossa energia. quanto guardar e quanto compartilhar, e quando.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Taty Guedes’s story.