Uma ampulheta atrás de seus olhos E ninguém nota a areia vazando o fundo despachando dunas em tuas…
Guilherme Amorim
31

Do olhar que se perde
Na lua, no além
Para além dos discos,
estrelas

Do não ser eterno
rio que não corre duas vezes
tempo que invariavelmente
Não volta mais

De quem não somos
Por não termos tempo para ser
e nem paz

da inexorabilidade de olhar para o alto
e não saber qual astro nasce
e qual se põe

o poema é seu. obrigada por essa resposta maravilhosa.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.