Outros jeitos de usar a boca (2014), de Rupi Kaur

(…)

não sei dizer se minha mãe está
aterrorizada ou apaixonada pelo
meu pai parece tudo
a mesma coisa

(…)

você pode não ter sido meu primeiro amor
mas foi o amor que tornou
todos os outros amores
irrelevantes

(…)

você passou noites o suficiente
com a masculinidade dele entre as pernas
para esquecer como é se sentir sozinha

(…)

todas nós seguimos em frente quando
percebemos como são fortes
e admiráveis as mulheres
à nossa volta

(…)

Aline R.