Termine os estudos e terás um bom emprego

Desde pequenos, sempre ouvimos falar que devemos ir para a escola com o objetivo de adquirir conhecimento e preparação para a vida adulta e que, ao chegar na vida adulta, se tivermos sido bons alunos, teremos sucesso profissional e felicidade.

Essa é mais uma dos enganos que a sociedade nos faz acreditar e eu gastei muito tempo da minha única vida acreditando que poderia encontrar o pote de ouro no final de um arco íris.

Não quero com isso dizer que a escola é inútil e que o conhecimento não é um fator extremamente importante para o sucesso. Mas quero alertar sobre o problema que existe em tantos anos de preparação na expectativa de que um dia seremos bem sucedidos. Mas quando é que esse dia vai chegar?

Essa é a minha primeira crítica ao falido senso comum da nossa sociedade, você não se prepara para a vida, você simplesmente vive.

Eu aprendi essa lição vendo o filme a sociedade dos poetas mortos. O filme, interpretado pelo genial Robin Williams, fala da história de um professor de poesia que impactou a vida dos seus jovens alunos através da mensagem passada pela expressão latina carpe diem, que significa aproveite o dia.

A primeira vez que eu ouvi falar em carpe diem, pensei que era papo de gente desocupada; afinal, eu tinha que me preparar para o futuro. Mas ao longo da história, o filme mostra que aproveitar o dia não significa ser irresponsável ou deixar a vida te levar.

A escola foca muito em preparar-nos para o futuro mas utiliza métodos extremamente ultrapassados. Como vou me preparar para ser um adulto feliz, realizado e motivado enquanto estou preocupado em aprender sobre equilíbrio químico ou a imagem da função exponencial.

O que eu quero dizer é que focamos muito nas partes e nos esquecemos de ler o todo. A escola falha ao tentar nos fazer ler o todo da realidade. Enquanto isso, pessoas com menos “conhecimento” do que nós aprendem isso e se dão bem na vida.

Eu lembro que, durante a faculdade, eu gostava muito de guardar todas as minhas apostilas e listas de exercícios. Na minha mente, eu poderia precisar delas um dia. Muitas vezes a escola nos educa para sermos acumuladores de informação. Tem gente que tem tanta informação mas não sabe o que fazer com ela.

Quando conheci o empreendedorismo, aprendi que o conhecimento só tem algum valor quando ele é transmitido ou, quando, de alguma forma ele pode impactar a vida das pessoas.

Na escola a gente só recebe os conhecimentos. Não aprendemos a transmiti-los, nem tampouco a transforma-lo a fim de resolver os problemas das pessoas.

Passar treze anos da nossa vida exercitando a teoria sem gerar nada de valor para outras pessoas na esperança de uma vida adulta de sucesso é uma caminhada rumo à frustração da vida adulta.

E agora, o que é que eu faço?

Não sei. Não sou um guru com respostas prontas. Na vida, você não encontra as respostas prontas como no solucionário do livro de matemática. Eu simplesmente aproveito o dia, tento aplicar aquilo que eu aprendo todos os dias na solução dos diversos problemas com os quais eu me deparo. Isso exige de mim não só a busca pelo conhecimento, mas também o amor pelo conhecimento útil.

Que nesse dia você possa sair um pouco da teoria, olhar o mundo e as pessoas ao seu redor, eles precisam da sua ajuda e tem muito o que te ensinar. Isso foi algo que eu nunca aprendi na escola.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.