quinze dias até a biópsia
Sidney Secolo
102

oi sidney. você não me conhece e na verdade eu também não te conheço, fora esses textos seus que leio desde que você começou a falar sobre câncer. fato engraçado (engraçado certamente não seria a palavra, mas…): logo que você começou a escrever eu estava lidando com o câncer da minha mãe. nada foi tão ruim quanto parecia (a gente sabe realmente nada dessa doença além da carolina dieckmann careca chupando gelo e raspando o cabelo em laços de família e manchetes sobre gente famosa que perdeu a luta contra ele), mas nada também foi tão maravilhoso a ponto de sair um livro de auto-ajuda com lições de vida ou uma viagem em família para santiago de compostela para que possamos nos conectar mais com a vida.

não passei nada disso na pele, mas vi e senti de bem perto que é: barra, é uma merda, por que isso, que doencinha maldita. em todo caso, por aqui minha mãe já chegou na fase da radio (máquina caríssima, colchão, canetas-piloto, dez minutinhos diários, etc) e parece que por aí também vai ficando tudo bem. espero que sim. não te conheço mas estou por aqui torcendo por você. seus textos são muito bons. ainda bem que você não gravou vídeos porque aí não teria paciência de assistir (por que as pessoas amam tanto youtubers?), mas por aqui leio.

muita força, vai dar tudo certo (você já deve estar cansado de ler/escutar isso). já deu tudo certo. continue escrevendo, um beijo.