Potencialmente neurótica

Odires Mlaszho

H. me disse que gostava de mim porque eu era diferente de todas as ex dele. No auge dos meu dezoito anos tomei isso como um elogio: Ual! Eu sou melhor que elas, então quer dizer que ele me ama mesmo.
Depois de alguns dias de convivência veio a confirmação. H. confessou que suas ex eram todas neuróticas, transcrevo aqui as palavras dele: "o que elas tinham de corpo, faltava na consciência. Sabe essas mulheres que criam coisas inimagináveis na cabeça? Eram loucas".

Na hora pensei: agora deu. Eu também era neurótica, a única coisa que me distanciava dessas mulheres era porque H. não tinha conhecido essa minha parte ainda.
Pensei em me justificar, a começar com uma base intelectual, partindo de um pressuposto psicanalítico de que todos somos neuróticos em potencial. Mas H. me pediria exemplos, partindo do pressuposto básico de que há níveis e níveis de neurose. Como eu diria que meu nível é "às vezes me escondo do leão de tanto medo e às vezes sou o próprio leão"?

A minha atitude mais imatura foi decidir esconder minhas neuroses e sua amiga ansiedade a quilômetros de mim. 
Então, em todos os nossos encontros, eu guardava as minhas crises para quando eu chegasse em casa. Algumas vezes entrava no banheiro público em um ato de desespero e pedia com carinho para mim mesma esperar só mais um pouquinho antes de gritar. Como aquelas mães que prometem aos filhos uma "conversinha" quando as visitas saírem. 
Eu convidava H. para entrar em casa, mas ele nunca passava da sala de estar. Ali era um lugar confortável e perto da saída.
Era como se eu escondesse a sujeira para debaixo do tapete. Era assim que eu me imaginava "só estou cuidando para que tudo fique saudável e bem organizado".
Mas ai que tá. Minhas crises não são sujas. 
Eu não preciso esconder a "minha parte podre" porque não há. É o que eu sou. E não me importa se não é convidativo pra você.

Enfim, em menos de três semanas H. presenciou um dia difícil. Depois disso foi sumindo aos poucos, até não existir mais.
Com o tempo percebi que tinha me tornado uma das ex dele. 
Nunca agradeci tanto por isso.