tenho perdido detalhes do seu rosto
às vezes forço os olhos para expandir a lembrança, como se estivesse diante de uma tela em branco. e fico horas tentando te desenhar, ate cair no sono. que é quando tenho de súbito uma lembrança de você chegando de algum lugar, com sacolas do supermercado, cheiro de perfume barato misturado com cigarro, gel esfarelado no cabelo e o rosto borrado. 
agora você é um borrão meio calvo, com linhas tortas. não sei que cara você tem, não sei que emoção você carrega.
está feliz em me ver?
ou ainda pensa em gritar?
e dizer que a culpa é toda minha?
você tem conseguido me perdoar?
perdoar essa pessoa que você achou que eu era. ou que eu deveria ser: devota e entregue a você. 
você consegue perdoar suas projeções? que deve doer muito mais do que a minha ausência bruta
e constante
porque para mim o que ainda dói é ter seu rosto cada vez mais desfigurado e indefinido. 
talvez essa seja a pior morte de todas. 
o esquecimento.