Você acaba de ser notificado sobre uma traição

Existem inúmeras formas de trair alguém.

Uma infinidade de aplicativos no celular, caso você queira um sexo casual e descomprometido, ou uma foda popular no horário do almoço. Depois — ao passo em que você recolhe as camisinhas utilizadas e as roupas espalhadas pelo chão — você desinstala os vestígios e excluí as conversas e *plim* isso quase não existiu.

Para algumas pessoas traição vai além disso. Traição é voltar alguns passos, caminhar do outro lado da calçada ou se distrair. Para cada pessoa no universo trair tem uma conotação diferente. Traição tem significados diferentes para pessoas diferentes.

Tai a “magia da coisa”.

Então, para um casal qualquer, trair é a consumação do ato. É quando os ossos se entrelaçam violentamente para depois adormecerem em posição fetal. Para algumas pessoas trair é antes. É no momento em que você digita a mensagem e aperta em enviar. E a foto que estampa a tela tem a mesma cor, textura e tamanho do desejo que invade o peito. Trair, para algumas pessoas, é desejar. É quando o órgão sexual pulsa na velocidade do coração e você confunde tesão com amor. É quando a libido chega no ápice e você se sente correspondido por outro alguém. Trair é a manifestação de um ego que nunca é satisfeito.

Em algumas culturas traição é a entrada para o inferno, em outras é considerada crime severo e cabível à pena de morte ou sacrifícios. Mas ainda assim consegue ser tema de filme e história para livros. Traição movimenta o mercado econômico e vira manchete de sites de fofoca.

Trair pode ser o tempo que você se dedica ao seu celular enquanto ela/ele conta como foi o dia. Trair, para algumas pessoas, pode ser você ter assistido ao filme antes e ter faltado com os planejamentos cruciais. Ou ter fingido que gostava muito de algo porque parecia adequado para aquele momento. Trair pode ser vestir as roupas do dia anterior, calçar os sapatos correndo, sair apressado do quarto e deixar um recado na secretária convidando para um café. Enquanto tenta se desfazer do cheiro que outro ser humano deixa no corpo de um outro ser humano quando quer demarcar vitória ou território. Como cães afobados que depois de acasalarem correm em outra direção.

Traição é ter o corpo presente, mas a alma intocável e distante. É não estar inteiro. É não entender quando o padre fala de entregar-se e doar-se a alguém porque acredita só no “algo”, no objeto concreto, naquilo que se pode tocar. Traição é não ter nada a dizer quando perguntam sobre amor.