Fé raciocinada

Loucos. Religiosos. Imorais. Surreais. O mundo caminha. O homem corre. Mas não, não na direção do progresso, meus caros. Retrocesso. Em meio às milhares de reações e compartilhamentos, percebo o que nos tornamos. Irreais. Revoluções reais estão aí. Mortais. Enquanto nós estamos aqui. Virtuais. Presos aos nossos medos. Reais. Julgamento. Final. Mas não esquece que tua igreja já errou. Milhares. Matou. E agora vem com essa de que é vítima. Escondida. Entre litros de sangue jorrados. Calados.

A menina moça, nas ruas não anda. É macumbeira. Dizem. Pedra? Joga. Nenhum de nós pecamos. Apedrejamos. Sangue. Jorrado. Calado. Terço. Rezado. Espíritos? Desgraçados. Pelo cão, usados. Mesa branca. Mancha. Sangue. Jorrado. Calado. Terço. Rezado. Muçulmanos. Errados. Atentados. Morte? Merecem. Apedrejados. Pecados. Dinheiro. Dízimo. Cartão? Só com senha. Aceito. Matou? Carro. Casa. Grana. Benção. Perdão. Apedreja. Não. Homem direito. Dízimo perfeito. Prefeito. Bancou. Bancada evangélica. Lacrou. Bocas. Foices. Cortando sonhos. Coitados. Apedrejados morrerão. Pecados. Gaguejarão. Carros importados não compram perdão. Terreno talvez. Celeste não.