Os dias

Foram dias de 
Pensar
Olhar
Calar
Mas não de agir
Foram dias de olhar pro teto e esperar o teto olhar de volta e esperar que o teto desse uma resposta
Foram dias de ficar em silêncio e ouvir o coração pulsando forte, acelerado, como quem diz: o pulso ainda pulsa
Foram dias de ficar no escuro de olhos abertos
Os dias
Foram dias de respirar pesado e pedir baixinho, por favor Deus
Dias de fitar o nada
Respirar pesado
Escutar o silêncio
Foram dias de não sonhar, nem ao menos ter pesadelo, apenas deitar pesado no travesseiro esperando lentamente perder a consciência
Dias em que o silêncio tomou conta
De mim
Da casa
De nós
De você
Dias que pareceram infinitos
Dias que eu nem lembro mais como foram, mas só de lembrar desses dias eu sinto a espinha gelar
Porque eles aconteceram
Aconteceu
Aqueles dias

**img: as virgens suicidas-sophia copolla