a-mar-a-vista

Marasmo agora que está distante
A praia mais próxima não nos aproxima
Não o bastante
A maré traz e leva de volta
Uma onda nunca fica de verdade
Na beira da praia, mais uma vez
Vem molhar meus pés a saudade
O adeus, amargo
O último beijo guardo comigo
Tento não me afogar
Ainda é raso, sei que consigo
Nadar contra a correnteza dói
E meus olhos começam a marejar
Nunca quis desistir
Mas não posso mais naufragar
Tento levar o mar em mim
Mas pelos olhos ele me escapa
Salmoura pra curar a ferida
Onde o sorriso antes ficava
Nos lábios, na lembrança ou dentro do peito
O meu afeto já não faz efeito
Mas o carinho insiste em ficar
Esse ainda pode transcender
Esse sempre pode transformar

Show your support

Clapping shows how much you appreciated thayse ferreira’s story.