“lembrei de você quando vi essa árvore magrinha.”

eu respondi: viaja comigo para as terras azuis. eu vejo além. se me pergunta onde são essas ilhas temperadas, eu te peço para olhar para dentro, para o fundo olhe para fora e para frente. tudo te espera dois universos distintos se colidem no atemporal, as formas nascem desse choque e nem você está igual viaja comigo rumo às tuas estruturas mais rubras e profundas. eu vejo além. e se me pergunta a razão dessa expedição, eu te peço para conversar com o teu oceano é hora de mergulhar nele e abraçar o espírito que habita em ti e ver além.