Primeira jam? Não tenha medo com essas dicas de manjões de jams

Essa sexta começa a Globa Game Jam, a maior e uma das mais esperadas jams do mundo. São 48h para fazer o melhor jogo possível, uma maratona de desenvolvimento que se passa simultaneamente em todas as partes do mundo.

Fazer jogos em jams é na minha opinião e na opinião de muitos devs a melhor forma de entender o processo todo de se fazer um jogo e de fato entrar de cabeça no desenvolvimento. Mesmo assim, muitas pessoas tem receio antes de participar da primeira Jam.

Compilei aqui as recomendações de alguns desenvolvedores de jogos brasileiros e estrangeiros para ninguém ter esse receio não. Esses são pontos que se destacaram nessas conversas sobre jams aqui e aqui (se você quiser ler mais, clique nos links para ver a discussão toda).

Algumas dicas são consensos mas outros pontos são mais #polêmicos, com um dev apoiando uma coisa enquanto outro apoia outra. Nem toda feature tem GDD, então pense nesses pontos como seu convite para fazer o design da sua experiência na jam nesses pontos.

Experimentar com outras áreas é a dica do Ronaldo.
"Planeje um jogo que você consegue completar em um quarto do tempo que você tem. Seu jogo deve estar 90% pronto na metade da jam." Töws, que fez o Eversion.
"Quando você tiver uma idéia para seu jogo, continue tirando camadas até você ter a versão mais simples possível dele" segundo Bret do Indie(Function);
Importante por essa logo no começo para ninguém chegar no meio da jam com essa idéia megalomaniaca. O Daniel é da Southboxstudio.
O Bruno da Behold tá dando sua última chance de entender o quão importante é diminuir o escopo.
André Yin do Dreaming Sarah sugere que "quando travar, faça pequenas pausas para fazer sentido dos seus pensamentos. E por pausas eu quero dizer pausas longe do computador"
Ivan da Wooga e a arte de esperar o inesperado.
Arthur "Tuba" do Gamesfoda e desenvolvedor do Olho Voador Bizarro e sua visão pragmática do rolê todo.
Brombatti começando as #polemicas sobre quanto tempo levar na ideia inicial, mostrando que as dicas gamedev não são feitas de consensos.
O Bruno organiza todo ano a sede de Curitiba da Global Game Jam, que é uma das maiores do mundo. Acho que ele tem um tantinho mais de experiência em jams do que eu, você, e toda a população da terra, então escuta o Bruno quando ele fala.
Vitor que estava na equipe do Toren e agora está na Aquiris.
O Giusepe da Skahal Studios lembra que tem um monte de gente legal em jams. Não vacile, faça amigos.
"Não esqueça do álcool e da boa comida".
Anotado, Lissa!
Gregorio Toth, programador, e o Gregorio Benatti, da Tapps, passaram essa mesma recomendação. Vida saudável deve ser uma coisa de Gregórios.
O TT da Aquiris só está preocupado com a sua saúde.
Outra necessidade humana a não ser relevada segundo Klos, da Behold Studios e Otus Game Studio.
"Jam devem ser divertidas. Faça grupo com um amigo, vá a algum lugar legal, tome um café bom e faça uma festa da expêriencia toda" pelo André da BigGreenPillow
Danilo Dias da JoyMasher discorda que Jam é uma festa e sugere que os participantes optem por outros planos.
"Pra que dormir muito?!?" deixa no ar Thiago que tem dois empregos na Behold Studios e na Otus Game Studio e já não deve dormir muito.
Venturelli, da Rogue Snail, engrossa o coro por dormir, #polemizando contra Thiago Marten apesar deles dividirem uma casa as vezes.
Ivan #polemico é anti-sono.
Muitas mais #polemicas.
Alysson lembra mais detalhes importantes e lembra que tem lugar para todo mundo na jam ❤
Maíra, da Tapps, #polemica sobre a importancia de entregar.
"Não ligue para o resultado. Aprender é mais importante. Se você não aprendeu nada, isso é um desperdício de jam."O jogo em si não é importante, o important é o processo de aprendizado que levou você e sua equipe até ele :)

Independente se seu plano é dormir, não dormir, festar, não festar, terminar o jogo ou focar em aprender,

tenha uma boa jam e jogue muitos gaminhos :)

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.