Sua serenidade, minha loucura

Texto escrito em abril de 2015

Você ainda está engatando a primeira. Eu estou sempre na velocidade máxima. Você tem o olhar sereno no meio do caos. Eu sou o caos em pessoa. Todos os dias você é garoa e eu, tempestade. Eu atropelo as palavras, você usa pausas eternas entre elas. Eu vou da glória ao fracasso em dois segundos. Você só me encara e, mesmo sem entender as loucuras, permanece ao meu lado. Tranquilo, você demora quase um minuto para falar, apenas, o meu nome. Mesmo nas suas pausas, eu permaneço.

Na briga de braço, ninguém cede. Somos cabeças duras. Sua calma taca ainda mais fogo na minha loucura. Eu não sei desacelerar. Você não sabe acelerar. Mas andamos. De um jeito ou outro, andamos. E, por incrível que pareça, continuamos andando. Às vezes, eu corro e você me freia. Às vezes, você para e eu te coloco na estrada novamente. Estamos há muito tempo nessa montanha russa, e acho que ainda não nos demos conta do que somos juntos. Do quão especial é permanecermos de mãos dadas nessa estrada.