Nós que pedimos: perdão

— Pede perdão pro seu pai
— (choros)
— Pede perdão pro seu pai por tudo que você fez pra ele, pede!!!
— Perdão, Papai (aos prantos)

Foram essas as últimas palavras que meu tio disse ao meu avô, que já estava sendo velado no caixão, dentro de casa. Meu tio deveria pedir perdão, por tudo que fez: ser uma pessoa amorosa, que não queria o mal de ninguém, estava sempre pronto pra ajudar, que cuidou dos meus avós tantos anos e por…ser GAY.

Meu tio também já morreu, há alguns meses. Quem pediu a ele ‘perdão’?

Eu, que ainda era uma criança quando vi aquela cena e não entendi o significava, nunca disse ao meu tio que ele tinha o meu apoio e que ele não precisava ser perdoado por ser quem ele era.

Mas meu tio lutou por esse direito. Em meio a uma criação conservadora, ele conseguiu se libertar e ir morar com seu companheiro. Ao se falar do assunto, todo mundo disfarçava e no fundo tinha esperança que fosse “só um amigo”. Eu, que sempre morei longe e na época ainda era criança, não sei da metade do que pode ter acontecido nesse caminho, até ele ter conseguido paz pra viver como queria, mas me conforta que no fim conseguiu.

Eu queria que meu tio soubesse, que uma das maiores potências do mundo legalizou o casamento entre pessoas do mesmo sexo e o quanto isso é uma conquista que pode mudar parâmetros em muitos outros países e gerar uma representatividade gigante para o movimento daqui pra frente.

Eu queria que meu tio soubesse que eu estava esperando a próxima oportunidade de visitá-lo pra dizer que ele era muito corajoso e que eu não era da turma que só engolia quem ele era porque não tinha outro jeito — eu aceitava e admirava. E que eu sou muito estúpida por não ter feito isso antes dele morrer de repente.

Eu queria que ele visse a minha simples foto colorida na rede social e entendesse que isso representa um apoio não só pela causa, mas pela vida dele, por quem ele era e por tudo que passou (mesmo que muita gente ache bobagem e eu seja hétero). Porque é isso que, no meu entendimento, as conquistas da causa gay representam: uma luta de uma vida pra conseguir ser quem você é e fazer as próprias escolhas — o que a maioria das pessoas que criticam nunca teve problema em conseguir.

Por isso, sou eu que peço, em nome de todos: Perdão, tio.

— — — —

E não venha me dizer que eu deveria diminuir a luta e a vida do meu tio (e de tantas outras pessoas) porque tem muita fome no mundo. É claro que tem, como também tem exploração sexual, déficit educacional, trabalho escravo, racismo, violência, tráfico de drogas, homofobia e tantos outros. Os problemas precisam de solução, TODOS ELES. E uma oportunidade de avançar na solução de um, deveria ser uma vitória de todos. Mas se você quer solucionar um outro, olha pra sua vida e analisa o que tem feito pra isso acontecer.

Like what you read? Give Thany Moraes a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.