É muito doido ver como o mundo ficou louco

o país feito de bobo

o povo de sonso,

o drama novo

de um discurso torto.

É muito doido ver como as pessoas estão ocas

com a cabeça frouxa

o coração morno

e o ego em gozo.

É muito doido saber que o tudo virou nada

e que o nada continua sendo mais nada ainda

e que o que resta dentro dessa festa

é apenas uma fresta

onde o que não entra mingua.

É muito doido saber que não há lembrança

que faça refletir que no meio de toda essa andança

há uma vida sem lambanças

um dia a dia de constâncias,

mas que perdemos no meio caminho

em toda essa falta de esperança.

Like what you read? Give Thássia Moro a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.