Como podcasts mudaram minha vida… e ela foi pra PQP.

Tudo começou com um jantar, lembro bem, em uma das minhas hamburguerias favoritas em um shopping de São Paulo. Fui encontrar com um amigo que, naquela época, ainda estava morando em Londres. Conversamos bastante e, entre um gole de milkshake e outro, ele me perguntou se eu já estava ouvindo ao podcast que dois outros amigos haviam começado… pod-o-quê?

Desnecessário dizer que, por causa da minha curiosidade, do amor e lealdade pelo nosso eterno clã de RPG e também por causa do app (até então inútil) que veio automaticamente na última atualização do meu smarthphone, pude baixar aos episódios e fazer maratona.

E que maratona, PQPCast!!!

Quase fiquei emocionada quando, na manha seguinte, dirigi para o trabalho escutando ao Julião e ao Mauhcs, dois amigos queridos que não ouvia a voz há tempos… algumas dessas praticidades de internet, onde falamos por mensagens de texto só. Era quase como poder abraçar novamente ao Mau, que já estava há alguns anos no Japão por causa do doutorado.

Foi amor à primeira vinheta!

Comecei a falar para todo mundo no Facebook sobre o “De Por Quê? Pra PQP!”, convidei amigos para a página, mandei diversas mensagens para o Mau e Julião, sugeri pauta… resumindo, enchi a santa paciência até que me convidaram para gravar.

Nostalgia das primeiras mensagens do episódio que gravei como convidada no De Por Quê? Pra PQP!

E a pauta ficou tão grande que tornou-se duas… e depois surgiu outra… e, de repente, eu fiquei. Foi lindo ouvir, pouco antes da 1a gravação de 2015, que:
- “Thata, você sabe que já faz parte do cast, né?!”
- “Jura?! Estava esperando o convite oficial”
- “Bem-vinda ao time, Thata.”

Desde então fiquei obcecada em usar todos os meus conhecimentos da faculdade de jornalismo para ajudar nas pautas e nos temas, agendar, entrevistas e fazer tudo o que eu podia…. eu precisava sentir que merecia o direito de realmente honrar ao nome de algo que eu já amava, mesmo antes de participar.

Acho que ainda tenho problemas em entender que hoje, após um ano, posso ser considerada uma podcaster também. Ainda dou gritos de fangirl quando recebo elogios de outros casts, ou quando chegam follow-ups de ouvintes e fãs. Quero mostrar para todo mundo as montagens lindas que recebo e fico toda empolgada quando consigo um convidado ou quando passo horas estudo a próxima pauta.

Mas é um trabalho árduo. Noites sonhando com posts nas redes sociais e sobre o que estudar para o episódio seguinte… dias dividindo o tempo entre as horas infindáveis de agência de publicidade e a administração do backstage. Mas vale cada segundo.

Vale cada sorriso que alegra o meu dia inteiro quando leio uma mensagem, ou a emoção de conhecer pessoas incríveis por causa dessa mídia. A podosfera pode não saber, mas ela me ajudou a superar minha última crise de depressão.

Graças ao De Por Quê? Pra PQP! — PQPCast fiz grandes amigos, alguns que pude até conhecer pessoalmente. Encontrei uma nova paixão para focar, um hobby que parece maior do que eu, que dá um propósito e faz a diferença na vida de outras pessoas… a mesma coisa que eu sentia com o trabalho voluntário.

A cada dia acordo com novas informações, perspectivas diferentes que têm me ajudado a crescer e expandir horizontes. Acordo ouvindo a muita gente que talvez eu nunca conheça de fato, mas que sinto que são tão próximas como amigos.

E isso faz toda a diferença na minha rotina.
Porque a segunda-feira começa com risadas e a sexta-feira termina com novas reflexões para o fim de semana.

Por isso, queria convidar a todos a fazer o mesmo.

Saia da sua zona de conforto, procure um podcast para ouvir ou vasculhem a podosfera por um episódio diferente de um programa que você não conhecia.
Apresente para os amigos ou tranque seu irmão mais novo no carro, no meio do trânsito parado, e ligue um cast que ele vai gostar (acredite, funciona maravilhosamente!).

E é assim que vou seguir mais uma semana, entre uma pauta e outra, um detalhe que alegra o dia e um pensamento que preciso entender melhor.

Obrigada, PQPCast (www.pqpcast.com), Ninguém: 人間 (www.pqpcast.com/ningen), A Voz de Delirium (www.avozdedelirium.com), The Dudes — Dudecast (www.thedudes.com.br), Leitor Cabuloso — Cabulosocast (leitorcabuloso.com.br), Alex Blumberg’s StartUp (gimletmedia.com/show/startup), Gimlet Media’s Mystery Show (gimletmedia.com/show/mystery-show) e Reply All (gimletmedia.com/show/reply-all), Anticast (www.b9.com.br/podcasts/anticast), Projeto Humanos (www.b9.com.br/podcasts/projeto-humanos), Mamilos (www.b9.com.br/53007/podcasts/mamilos), Serial (serialpodcast.org), Undisclosed (www.undisclosed-podcast.com), MegalomaniaCast (megalomania-metal.com.br), GroundCast (groundcast.com.br)… e a tantos outros.

Obrigada mesmo pelo carinho e pelo apoio a cada semana Julio A, Mau, Wandão, Andrey™ Mattos, Luciano Praça Rodriges, Natália Mattos, Leandro Gonçalves, Eugênio Hoch, Luiza Prestes, Rodrigo Bamondes, Eric Sogumo, André Monsev, Lucas Kircher, Fábio Reale (Chong Li), LucienoBibliotecário, Domenica Mendes, Bruno Luiz, Diego Souza, Guilherme Moura, Angela Kina, André Zampieri, Fabio Melo, Roger Takada, Bruno Luiz, Ivanilton Jr., walber lins, Ivan Mizanzuk... E a tantos outros Ouvintes Ninja, que estão escondidos nas sombras mas não comentam.

Feliz #DiaDoPodcast

(Thais Finotto Visani — 21/10/2015–3:27 pm)