Tem Gilmore Girls dentro de todos nós.

É tanto texto sobre Gilmore Girls que parece uma imensa besteira fazer mais um, mas depois de ver de novo um episódio do revival; dessa vez com mais calma e ler tantas reviews penso que não faria mal falar algumas coisas. E começo a pensar no que Gilmore Girls representa pra mim; e é verdade que nunca falei muito dela antes da Netflix colocar todas as temporadas no catalogo. Antes do anúncio do revival. Mas é porque, Gilmore Girls, acima de tudo, é aquele seriado de conforto pra mim. Eu costumo falar isso pra todo mundo — enquanto os americanos pegam um pote de sorvete para afogar as mágoas eu dou play nessa série pra me sentir melhor. Ou Friends e The Nanny, mas não é hoje que enaltecerei essas duas ultimas.

Quando a Lorelai fala ‘’I smell Snow’’ no começo do revival eu já me sinto em casa. Assim como me sentia em casa quando Tal Mãe, Tal Filha começava nos Domingos matutinos do SBT. E sim, parece loucura mas um seriado pode ser sua casa. Home is where the heart is, eles dizem. Mas nessa época eu mal imaginava quanta diferença esse seriado iria fazer na minha vida. Gilmore Girls é tão simples e tão precisa que é por isso que ao assistirmos nos dias de hoje ficamos bravos com todos os personagens, choramos e queremos ser iguais a Lorelai. O que Amy Sherman Palladino construiu é apenas uma narrativa da nossa vida. Quem é que não se identifica com os problemas familiares de Lorelai, ou o medo de compromisso dela? Quem é que não se identifica com a persistência de Luke? (Once Luke Danes is in your, he’s in your life forever.) Quem é que não se identifica com a deliciosa confusão que Rory faz com a própria vida mesmo tendo tudo ali pra ela? Se no passado as meninas gilmore apareciam na minha televisão para ser meu pote de sorvete hoje tudo que eu quero ser é um pouquinho igual a esses personagens. E pra ser sincera, eu e você, que talvez tenha achado esse texto interessante por uma razão, já somos. Sabe porque você fica tão brava com a Rory ter saído de Yale? Com a Lorelai e o Luke evitando o inevitável ao ponto de ser insuportável? Porque enquanto Gilmore Girls acabava e você crescia, você fez tudo isso. Tudo que esses personagens fizeram, obviamente sem toda aquela parte fictícia de seriados da televisão, mas fez. Você é o Jesse e a Emily também. Caramba, talvez em algum momento da sua vida você tenha sido o Dean. E com muito menos dinheiro a seu favor, você foi o Logan que quis a qualquer custo se desvencilhar da fama da família mas não conseguiu.

Você é a Lorelai, não tão feliz da vida assim mas quase lá, só precisa achar sua trilha de livro e colocar nessa cabeça dura que você e o Luke são pra sempre.

Ah, você é a Rory, que não decide de quem gosta, e qual é o problema nisso? E que achava que ia sim ser bem sucedida, afinal todos te colocavam num pedestal mas não é bem assim. E qual é o problema em estar perdida na vida aos 32 anos?

Você é a Emily. Te falaram a vida toda que você tinha que agir de um jeito e você precisou perder a coisa mais preciosa da sua vida pra saber que você pode ser quem você quiser, né?

Você é o Luke. Teimosx, paciente, serve o mesmo café todos os dias, vê tudo mudar mas não muda. É uma rocha, que só estoura quando é preciso; porque todos tem que te ouvir falar, afinal você tem sim razão apesar de ser quieto.

Você é o Jesse, sem rumo por aí, escrevendo talvez um livro, ou mesmo sentada na mesa de um escritório. Você vê a pessoa que gosta só mais uma vez na vida, encoraja ela a ser quem ela é de novo, e sai atordoadx de cena após mais um abraço. E não olha pra trás. Afinal também é amor se você concorda pra si mesmo que as vezes a outra parte não precisa do que você tem a oferecer.

E é por isso que a gente se agita tanto, a gente torce tanto, a gente fica louca ao pensar em Gilmore Girls. Porque com tanta série por aí falando de herói, monstro, mágica; o que te faz colocar o pé no chão é a neve caindo em Stars Hollow, que de fictícia não tem nada, porque a Amy colocou um pedacinho dela em todos aqueles personagens e quis que cada um de nós sentisse o mesmo também. E pra sempre, quando você for uma mãe tão descolada igual a Lor, esperar pacientemente pela pessoa dos seus sonhos igual o Luke ou se ver perdida aos 32 anos, igual a Rory, você vai lembrar disso. E vai ficar tudo bem.

Like what you read? Give ferreira. a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.