Aprendendo que está tudo bem em fazer o que é possível no momento ❤

Ontem, mais um novo desafio. Em uma relação familiar, estou sendo “exigida” a fazer algo que não quero fazer… Esse tema passou a “dominar” todas as conversas que tenho com esta pessoa há pelo menos uns 3 meses. Ontem, mais uma vez, a pessoa me perguntou se já tinha feito o que ela quer que eu faça; eu respondi que não, e o que se seguiu foi uma enxurrada de justificativas sobre porque eu ESTOU ERRADA e o quanto minhas escolhas de vida SÃO PERIGOSAS. Senti-me cansada e frustrada.

Cansada porque gostaria de ser escutada. Gostaria de ter a oportunidade de contar para esta pessoa porque estou fazendo outras escolhas, minha lógica de priorização das coisas. Também gostaria que esta pessoa aceitasse que posso fazer escolhas diferentes dela, ainda que ela discorde totalmente daquilo que escolho. Ao mesmo tempo, gostaria de contar para esta pessoa que compreendo sua maneira trágica de expressar sua preocupação comigo e que sou capaz de compreender que esta insistência reflete sua necessidade de cuidado comigo.

Frustrada porque apesar de “toda” a CNV que pratico e compartilho, percebi que ainda não sou capaz de oferecer a esta pessoa toda a escuta que ela precisa para que em algum momento, quem sabe, ela possa se tornar capaz de me escutar. Apesar de estar consciente de que este é o caminho mais provável” para que isso possa acontecer, como dizia Marshall, ainda não sou capaz de trilhá-lo com plenitude nesta relação.

Se quero a compreensão de alguém, a melhor maneira de obtê-la é oferecer primeiro compreensão a essa pessoa.
Marshal Rosenberg

Depois da conversa, tive a oportunidade de receber uma escuta que me gerou um alívio e me trouxe de volta a sensação de paz comigo mesma e a oportunidade de praticar a autocompaixão, ao me fazer lembrar de outro ensinamento da Comunicação Não-Violenta, que Marshall apresenta como provavelmente o mais importante, ao escolher viver a vida em harmonia com nossos valores:

É fundamental acolher e avançar no nosso próprio ritmo.

Entrar em contato com esta consciência traz de volta minha humanidade, faço as pazes com minhas limitações, sou capaz de reconhecer que estou fazendo meu melhor e valorizar isso. Eu sou humana, assim como esta pessoa, assim como o amigo que me escutou, assim como você que está lendo este texto. Estamos fazendo o que é possível em cada momento, e sim, está tudo bem. ❤

*******************************************************************

*Se você gostou deste texto, pode “bater palmas”. Isso ajuda que o meu texto alcance mais pessoas dentro da plataforma do Medium. Gratidão! ❤