A vida como ela é.
Thali Sugisawa
72

Ler seu texto é de certa forma reconfortante. Confesso que no momento atual, olhar tantas carinhas felizes estampadas na timeline do facebook dá um certo cansaço. Não que eu não goste ou queira que as pessoas estejam felizes, mas ser uma representação de Pollyanna full time cansa, e vamos combinar, é ilusória. Quantas histórias por trás daqueles cliks, carregadas de tensão, palavras não ditas, olhares tortos…e crises. Thali, saber que vocês passaram e resolveram encarar os problemas de frente e juntos é muito legal e inspirador. Já temi muito as “crises”, tentei fugir, negar, até mesmo ignorar, mas elas chegam e só desaparecem quando você resolve olhar cara a cara e ouvir o que ela tem a dizer. Foram algumas crises, umas rápidas, passageiras e outras mais dolorosas e prolongadas. Mas todas, sem exceção, me provocaram mudanças. E ao final de todo o processo, mesmo cansada e abatida (falar do que incomoda, do que nos machuca ou desagrada é exaustivo), me senti melhor. E enfim percebi que crises são bem-vindas, pois elas nos tiram da zona de conforto, nos apontam o que não está legal e nos exigem uma posição, te cutucam para uma auto-reflexão e se ignora-la você corre o risco de ser engolida e perde uma grande oportunidade de amadurecer. Ah, e por falar em amadurecer, o coisa boa que é crescer!