de uma doce mentira para uma criança perturbada

eu quero.

eu quero que as pessoas olhem para mim, eu quero que me olhem e pensem “o que tem na cabeça dela além desse cabelo bagunçado?”. eu quero que as pessoas que eu conheço olhem para mim e digam que eu mudei, e que não foi para melhor. porque é nisso que as pessoas acreditam, que quando você muda, você muda para pior.

eu quero que todo mundo ache estranho. eu quero ser incompreendida. porque só assim saberei o quanto eu sou menos mundo e mais… eu, talvez. eu quero que as pessoas fiquem confusas. eu quero que todo mundo me odeie mesmo. eu quero que as pessoas não entendam porque sou complexa demais. eu quero ser uma incógnita. eu quero olhar as pessoas de cima.

eu quero não ser a antiga eu, porque já enjoei dela, e eu tenho a habilidade de mudar de propósito quem eu sou. nada que eu faço é sem querer. talvez sem pensar, mas eu quero.

será que eu caí no seu conceito?
tudo que eu faço pra você é defeito
na minha visão é mais-que-perfeito

dê outro significado à meu nome. eu não quero mais significar esperança. talvez adorável vingança, ou perturbada criança. quero ser o que eu quiser, muitas de uma vez, não importam vocês. eu sou eu mais para mim do que para alguém. eu não ligo para o externo. pelo menos não agora.

eu cansei de colocar imagens nos textos. eu cansei de dar nome às minhas poesias. porque se você está triste, eles diagnosticam depressão. porque se você não se encaixa, eles dizem que você é um perdedor. porque quando você enlouquece, eles te dão remédio. e se você toma remédio, eles dizem que você é uma emergência regular decorada. e eu falo de remédios em toda porra de texto meu.

eles fazem tudo de mim.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated narsie’s story.