O lado e (ao) seu lado

When the morning comes and the nighttime goes away (all day)
Don’t you ever think that we won’t be okay (no way)
There is nothing stopping me from loving you

Em meu quarto estamos bem, fora dele há desdém , enquanto a distância nos separa, a reciprocidade some, a discussão transparece quando em outra cidade, do ônibus você desce.

Outra cidade, outro comportamento, o vento te faz mutável, muda o sentido das minhas palavras, fazem virar pedras, quando são penas, para coçar o ego, e fazer saudade.

Por isso no no quarto ficamos bem, não há vento e nem rancor, só o cheiro de suor, misturado com nosso amor, que ficam nos lençóis, onde o vento não age, não há diferença de idade, nem há tempestade que fique descontrolada, com o encostar da porta.

Se a gente namora ?

No quarto somos namorados, fora dele, estamos fadados a possíveis teatros, a vida nos faz teatral, mas ei garota. Não faço teatro com quem entra no meu quarto.


Final do texto ?

Ainda não tem, pois sabe né ?

A vida vai…

E vem.

Like what you read? Give Douglas Cardoso a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.