Coisas que a Tamara não me deixa esquecer

Tem coisas que a Tamara não me deixa esquecer de propósito. Tipo aquela noite que eu aprendi a falar cinco línguas e confirmei o endereço com o taxista em todas elas. Ou nosso plano maluco de um dia fugir pra Holanda e abrir uma editora de livros infantis.

Mas tem coisas que a Tamara não me deixa esquecer e nem sabe. Ela não me deixa esquecer de como é o abraço dela é de quantas vezes ele me fez tão bem. (A Tamara tem o melhor abraço do mundo é, se você nunca experimentou, está perdendo uma oportunidade incrível). Ela não me deixa esquecer que família é sobre amor, aceitação, jantares com vinho, orgulho, conversas sinceras e mais amor, não necessariamente sangue. E que tem corações que simplesmente são grandes demais e querem abraçar o mundo.

A Tamara não me deixa esquecer que o mundo é cheio de pessoas maravilhosas, a gente só precisa procurar. Que mesmo as pessoas que fazem várias coisas errado ainda são gente com coração e podem começar de novo. Que a gente precisa proteger quem tem menos força que a gente.
Que é preciso trabalhar duro pelos seus sonhos, mesmo que você não saiba bem o que seus sonhos são. E que não tem problema se, no meio do caminho, você decidir que quer outra coisa. É só remar na outra direção.

A Tamara não me deixa esquecer que cada pessoa é uma só, especial como é. E que a gente não pode deixar de ser quem a gente é, precisa se jogar nessa busca sem medo. Não porque a Tamara não sinta medo, mas porque ela enfrenta para ser quem ela é. Não me deixa esquecer que é possível ser forte, mesmo quando eu acho que não dá.

Ela não me deixa esquecer que é importante buscar suas raízes, encontrar sua identidade, explorar o que você é e pode ser. É usar isso com orgulho.
A Tamara nunca me deixa esquecer que a vida é feita de sentimentos e não só de fatos. E que eles precisam ser sentidos, não analisados. Que pode chorar com aquela mensagem, pode ligar quando ser saudades. Pode fazer Skype enquanto escolhe a roupa pra sair naquela noite.

Mas, principalmente, a Tamara não me deixa esquecer que amizade também é amor. E que não importa quantos anos passem, quantos problemas a gente enfrente, quantas discordâncias a gente tenha. A Tamara, mesmo sem saber, não me deixa esquecer que nosso amor é pra sempre.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.