10 anos

Ei Thiago, aqui quem fala é você, 10 anos no futuro. Pode parecer estranho, mas ainda somos a mesma pessoa. Assim, algumas coisas irão mudar, e é exatamente por isso que estou escrevendo esta carta só agora, precisamente hoje, para te contar de algumas coisas que te esperam nos próximos anos e alguns conselhos.

Hoje, 26 de agosto de 2008 você vai perder alguém muito especial. Alguém que te colocou no mundo e até então era sua principal modelo de inspiração. Muita coisa vai mudar na sua vida a partir desse ponto, mas não tenha medo, você verá como é mais forte que pensa.

Você sairá da escola após as provas para ir para casa receber a notícia. Você vai socar as paredes no banho. E só vai conseguir dormir depois de chorar. Permita-se chorar, colocar o que te angustia para fora é uma das principais lições que quanto antes aprendida melhor.

Desse ponto você se fechará, tentará achar explicação pro que aconteceu. Iremos beber muito, mais do que deveríamos, engordaremos 10kg em 6 meses, esqueceremos da nossa religiosidade praticamente até os dias de hoje. Calma, essa fase “rebelde” não ficará para sempre, é apenas parte do seu processo de luto.

Após isso virá um vazio. Um vazio angustiante, silencioso e que você se colocará num ciclo de imaginar “e se as coisas fossem diferentes”. Você mesmo sairá disso, e a partir daí terá mais controle sobre seus sentimentos e a se reconectar consigo.


A convivência com seus avós parece difícil agora. Tenha paciência, pratique diariamente. Vocês têm 50 anos de diferença, eles estão dando o máximo para fazer algo que se assemelhe como uma família. Eles também estão sofrendo e sendo pais novamente no processo. Seja grato por cada momento que você tem com eles, é inexplicável como você será outra pessoa por viver com eles.

Não adianta eu falar para não se preocupar com o futuro, porque sua ansiedade provavelmente já disparou, sua “caspa crônica emocional” também, ainda não demos um jeito nisso, mas acredite está melhor do que nunca.


O último ano de escola será estressante, você se sentirá sozinho por muito tempo. Um dos seus melhores amigos irá quase morrer, e não há nada que você possa fazer. Mas não se preocupe, no fim tudo vai dar certo.

Você passará no vestibular, seu amigo ficará bem e você ainda vai ir para o outro lado do mundo conhecer a Austrália.

Sua primeira experiência por conta própria, irá te deixar com medo, inseguro o tempo todo, mas essa viagem vai definir seu espírito livre, de se lançar e principalmente, saber aproveitar a sua própria companhia. Isso fará uma grande diferença no futuro.


Aproveite os anos de faculdade, eles passarão voando. Você conhecerá pessoas que levará para o resto da vida. Quem diria que você até gerenciaria uma agência júnior de comunicação. Cultive bons relacionamentos desde o início, você não tem ideia de onde eles podem te levar.

Antes de me despedir, alguns conselhos rápidos que seriam bons você aprender desde já (ainda estou tentando colocá-los em prática):

  • Não se cobre tanto. Entenda sua ansiedade, entenda que tudo tem seu tempo, e não adianta queimar a largada.
  • Não viva em função dos outros. Faça seu próprio caminho, você será mais leve e feliz.
  • Não pense que você será sozinho para sempre. Os relacionamentos virão, aproveite cada momento deles, não fantasie antes da hora. Você saberá quando encontrar uma pessoa especial.
  • Seja menos ranzinza. Ria mais de si, isso é uma ótima forma de fazer amigos.
  • Procure perdoar. Nenhum sentimento de dor, raiva e ódio vale a pena ser guardado.
  • Coloque-se no lugar do outro. Pratique a empatia. Você não sabe as batalhas que o outro está passando.
  • Aceite suas limitações. Aceite ajuda. Não seja orgulhoso de admitir seus erros.
  • Aprenda a dizer “não”. Não faça nada apenas para agradar, trabalhe o não na sua vida, irá te poupar problemas.

Você tem uma longa jornada até aqui, o caminho não é o dos mais fáceis, acredite em si mesmo. Como disse, não se preocupe com o futuro, tudo encontra um jeito de seguir seu fluxo da vida. Te espero aqui, uma pessoa melhor do que podemos ser.

Um grande abraço,

Thiago de 2018