Jonas, A Gente Precisa Conversar

Vivendo dentro da Baleia: PART 2

Jonas, a gente precisa conversar. Larga esse copo e me olha. Jonas. Poxa. Existe uma diferença muito grande entre eu e você. O que tanto tu procura quando sai com esse bote?
Jonas. Me responde.
Não tem baleia nenhuma para você caçar… sai dessa ilusão Jonas. Ela não vai voltar. Pensa no agora. Pensa na sua vida. Pensa na gente.
Eu sei, mesmo sem você dizer uma palavra, que a baleia matou uma parte de você faz quinze anos. Mas você tem que superar isso. Eu tô aqui e só você não vê. Larga aquele bote.

Não! Não vai embora. Desculpa, eu só quero ajudar.

Não gosto quando você faz essa cara e tá tão frio hoje. O que é isso? Um arpão, Jonas?! Você vai mesmo caçar aquela baleia nesse breu? Pera. Anda mais devagar. O Mar tá revolto e parece que o tempo vai virar.

Jonas, por favor… fica.

Eu faço o seu guizado de carne que você sempre gostou. Gostava. Não sei mais. Mas quero saber, quero cuidar de você. Eu tô aqui te esperando. Esse tempo todo. Só, por favor, para de andar um pouco e olha para mim!!!

Isso. 
Vamos sair desse cais. Eu tenho um pressentimento ruim, meu amor. Se você pegar esse bote e entrar nessa névoa é para nunca mais. Eu não sei o que eu vou fazer se você não voltar. Eu não aguento mais chorar esperando você. Eu não aguento mais. 
Jonas, a gente precisa conversar. Eu quero você aqui.

“Joana, eu vou entrar nesse barco. Eu vou encontrar com o meu passado pois a memória é um peso que nos puxa para baixo. E se eu sobreviver a essa baleia, amanhã eu volto para nunca mais.”

Jonas, eu vou te esperar aqui.

— — — — — — — — — — — -

Jonas entrou no bote, olhou para trás sério como quem não acredita no que vê. Empurrou o bote do cais com um remo e entrou na névoa. Joana sentou com as pernas dobradas no cais, apertou o casaco, se encolheu e olhou para onde Jonas ia até sumir na noite. Ela ia esperar.