DESCE UMA DOSE

Ele entrou com passos firmes e foi direto ao balcão.
Me vê aí uma dose de felicidade. Sem gelo.
Felicidade tá em falta, doutor.
Como assim?
Tem solidão, inveja, depressão, saudade…
Eu quero felicidade. Tô com a garganta seca.
Olha, doutor, essa aí tem tempo que parou de vender.
Como assim? Isso é um absurdo. Me chama o gerente, faz favor.
No que posso ajudar?
Eu quero uma dose de felicidade. Sem gelo.
Felicidade? Faz tempo que não pedem uma dessa por aqui.
É que é a minha favorita, sabe?
Sei, costumava ser a minha também. Só que pararam de distribuir faz tempo.
Puta merda, só queria tomar uma pra relaxar depois do trabalho.
Tem alegria. É um pouco mais fraca.
Nã, muito aguada. O gosto não fica na boca.
Bom, tem solidão, inveja, depressão, saudade.
Tudo muito amargo, hein?
Bota um gelinho que disfarça.
Será? É que essas aí desce tudo queimando.
Ó, tem euforia. É um pouco mais cara, mas sai bastante.
Nunca provei dessa. Mas a grana tá curta.
É, aí fica difícil ajudar o doutor.
Eu queria felicidade.
Vou ficar te devendo.
E aquela docinha, uma que tinha um coração no rótulo? Começa com a…
Amor?
Isso, amor! Me vê uma dose dessa, vai…
O doutor não bebe faz tempo, né?
Uns 20 anos. Por que?
Pararam de produzir essa também.
Caceta.
A vida é dura, doutor. Ninguém mais toma essas coisas. Hoje em dia o pessoal só toma as da moda: solidão, inveja, depressão, saudade…
E euforia?
Essa é pra quem tem grana.
A vida é dura mesmo. O trabalho tá puxado, sabe? Eu ralo, ralo e os outros que são promovidos. A mulher me deixou tem três meses. Meu cachorro morreu, coitado. Tsc, só queria tomar uma.
Vai com gelo ou sem gelo, doutor?
Que?
Esse coquetel aí que o senhor me pediu. É com gelo ou sem?
Sem. Odeio coisa aguada.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Thiago Monteiro’s story.