Compartilhe

A muito tempo atrás, muito mesmo, a humanidade aprendeu a plantar. Isso permitiu deixarmos de ser tribos coletoras e caçadoras para nos tornarmos vilas, cidades e impérios que se fixaram, estabilizaram e prosperaram. Isso nos permitiu viver mais, as crianças puderam sobreviver e chegar na idade adulta, gerarmos mais conhecimento e dominamos o mundo, ou uma partezinha dele. Até o final do primeiro milênio depois de Cristo nós não passávamos de trezentos mil espalhados pelo mundo. Em meados de mil e oitocentos alcançamos a incrível marca de um milhão, mas então algo bizarro aconteceu, houve um crescimento espantoso em nosso número. Levamos cerca de vinte mil anos para chegarmos a marca de um milhão, e derrepente, em menos de duzentos anos, chegamos ao número de sete bilhões de pessoas a redor do mundo. Se continuarmos a história vamos entender melhor como resolver o problema do aquecimento global.

Pois bem, o motivo do crescimento populacional humano tanto no começo da civilização, quanto no final do século dezenove se deve às técnicas de agricultura que desenvolvemos. Como disse, o começo da civilização e dos primeiros milhões de humanos se deve ao nascimento da agricultura e da oportunidade das pessoas de fazer outras coisas que não caçar e colher. No início do século vinte o que causou a revolução da agricultura e nos permitiu crescer neste mundo como nunca, foi a utilização da química na agricultura. A técnica da síntese de amônia, criada pelo alemão Fritz Haber em 1908, permitiu às pessoas plantarem em dimensões nunca imaginadas antes. Foi neste momento que surgiu o conceito geográfico de plantation, que nada mais é quando se planta uma quantidade gigantesca de um mesmo produto na mesma área, um ótimo exemplo disso são as plantações de soja no sul do Brasil, isso só é possível com a ajuda de fertilizantes. E esta técnica permitiu a nós colher a quantia necessária de comida para que começássemos a alimentar lugares como a Africa e Ásia. A ironia aqui está no fato de que Haber criou a técnica da síntese de amônia para usar em explosivos na primeira e segunda guerra mundial.

(Se quiser, salve este texto nos favoritos, pesquise mais sobre a história da agricultura mundial e depois volte a ler. Se você descobrir que eu escrevi algo errado, comente.)

Agora vamos a dicotomia. Plantations requerem espaço, muito espaço, requer fazendas de proporções gigantescas. Aqui no Brasil estamos fazendo a mata Amazônica recuar cada vez mais e mais para darmos conta da demanda de produção de carne bovina. E assim está acontecendo em vários lugares ao redor do mundo, se antes não tínhamos como manter as plantas vivas para colhermos grandes quantidades e alimentarmos o mundo, agora está faltando mundo para plantarmos. Acredito que a esta altura da explicação você já tenha entendido o que estou propondo neste texto. Se continuarmos a crescer nossas plantações ao redor do mundo, nosso mundo vai mudar e se tornar cada vez mais inóspito para nós humanos, por outro lado precisamos continuar a colher cada vez mais para evitar as crises de fome no mundo. Certo?

Exatamente, é isso mesmo que você viu neste mapa. Comida há, e muito, mas ela não está bem distribuída. Na verdade, isso não é mistério para ninguém certo? Certo. Ainda exitem muitas crianças na Africa que morrem de fome, ainda existem muitas pessoas que não saíram da pré história, pessoas que vivem seus dias para tentar comer um pouco e talvez viver um outro dia. No outro lado, do bizarro mundo social da humanidade, estão as pessoas que vão regularmente ao médico para evitar morrer de tão gordas que estão. Solução da fome? Melhor distribuição de alimentos.

Solução do aquecimento global? Não é tão simples assim é claro. Mas uma vez que a humanidade aprenda o conceito de compartilhar de forma igualitária e saudável, essa nossa estarrecedora necessidade de plantar mais e mais vai cessar, assim não será mais necessário destruirmos tanto a nossa natureza. Parece simples não é?

Aqui vem o fato triste; para a humanidade, compartilhar só faz sentido quando é no Facebook, compartilhar na vida real parece ser algo fora de contexto.

Compartilhe; roupa, comida, teto, ajuda, sorrisos, solidariedade, tempo, conhecimento, força, sentimentos. A minha maior esperança é um dia ver as pessoas entendendo que o mundo não é divido como nossos mapas mostram, a humanidade é uma só! Porque isso parece ser um sonho de criança? Isso não deveria ser apenas, uma realidade?

Leia: http://oglobo.globo.com/sociedade/sustentabilidade/populacao-mundial-vai-crescer-53-chegar-112-bilhoes-em-2100-diz-relatorio-da-onu-17003177

Leia: http://www.dw.com/pt/fome-%C3%A9-causada-pela-m%C3%A1-distribui%C3%A7%C3%A3o-e-n%C3%A3o-pela-falta-de-alimentos/a-4792836

Não pare por aqui, pesquise mais a respeito e compartilhe esta ideia.