Padrão

A humanidade com o tempo desenvolveu uma habilidade que foi essencial para sua história neste mundo. A habilidade de criar, categorizar e controlar, padrões. Por conta desta habilidade aprendemos que devemos evitar animais com dentes grandes e comportamento agressivo, e isso nos ajudou a sobreviver mais. Ainda podemos pensar na questão de que nossa capacidade de nos dividirmos para cumprir funções diferentes em nossa sociedade nos permitiu a criação de bandos, cidades e depois, impérios. Desta forma coisas como, preconceito, discriminação, classes, e todo tipo de categorização social surgiu. E toda vez que um jovem humano começa a amadurecer é fortemente cobrado dele que tente se encaixar em um padrão. Em nossa sociedade, quem não segue os padrões tende a passar por grandes dificuldades. Neste ponto surge nosso conflito; o que fazer com àqueles que não se sentem confortáveis com isso?

Neste exato momento em sua mente já estão passando vários preconceitos e padrões, já se passaram vários tipos de pessoas às quais eu se quer me referi. Você está agora a pensar que estou aqui para falar de jovens, de pessoas tatuadas, de gente que não quer seguir carreira. E do outro lado, estou a criticar os mais velhos, que estou a condenar os pais que pedem aos filhos para ser médicos ou engenheiros. Pois bem, não é dessa vez! O motivo de eu estar digitando estas palavras é para defender a liberdade de cada pessoa de viver a sua própria vida. Sem julgamentos, sem dificuldades, com abundância de oportunidades, coisa que está claramente distante de acontecer, ainda mais em um pais de política e sociedade arruinadas como aqui no Brasil.

A liberdade não se trata apenas de poder ir e vir. Se trata de você não ter um cronograma para seguir na vida, já percebeu isso? Nós nascemos, fazemos o ensino fundamental, fazemos o ensino médio, fazemos faculdade, trabalhamos… Conhece alguém que tenha vivido a vida sem fazer dessa forma? Não né… Mas existe, o problema é que nossa sociedade comum condena de forma incisiva as pessoas que fogem deste padrão. O principal motivo é porque já foi difundida a imagem de que para ser alguém na vida você precisa de uma faculdade, você precisa ser bem sucedido na vida, como se isso significasse ter um emprego que lhe garanta bastante dinheiro. Mas agora começa a parte divertida desse texto, pois agora vou começar a sair desse papinho que já era esperado.

Eu, Thiago Patrick, tomei duas decisões na minha vida que me tornam bastante afastado das outras pessoas da minha faixa etária, a primeira foi de não tomar nenhum tipo bebida alcoólica, nem bombom de licor. A segunda decisão foi a de não participar de festas, baladas, noitadas, sabe? Pois é, eu sei, eu quase consigo ouvir você falando -”Nossa, como ele vive?”,”Como ele se diverte?” e ”Que cara chato.”- Pois é, desculpa decepcionar a tua expectativa de como deveria ser um jovem, mas nem todos os jovens buscam apenas diversão em suas vidas, nem todos os jovens, são como jovens “deveriam” ser. Já foram várias as vezes que conversando com amigos na faculdade me deparei com situações e conversas bem constrangedoras. Muitas vezes vi pessoas me olhando como se eu estivesse vivendo a vida de uma maneira errada.

Agora acho que já é possível a você, leitor, visualizar o que quero dizer. Liberdade é sobre isso, é entender que nem todas as pessoas vivem como você. Entender, aceitar e saber conviver com estas pessoas de uma boa forma. Se você parar para pensar existem diversos casos como o que citei. Existem muitas coisas no meio jovem que são inaceitáveis. Da mesma forma no meio adulto, profissional, público…

Em todas as faces da sociedade a humanidade permanece presa ao costume de padronizar. Padronizamos a forma correta de ser, padronizamos a forma incorreta de ser. E não importa o momento, ou o local, discriminamos e julgamos todos. Acredito fielmente que é possível mudar isso. E na minha opinião esta mudança deve partir não apenas daqueles que discriminam, mas também daqueles que sofrem esta ação. Se você possui características que acha incompatíveis com a sociedade, escancare estas características, e faça as pessoas entenderem quem você é, não desista de ser você mesmo. E para as pessoas que tem a cara de pau de julgar os outros; você precisa urgentemente deixar de ser cuzão.