A Resistência em você está te impedindo de ser Incrível (e como lutar contra isso)

Essa semana li um artigo sensacional sobre mudança de mindset, e decidi compartilhar com vocês.

Tudo o que está escrito abaixo foi livremente traduzido por mim do texto de Thomas Oppong no Medium. Aproveitem! 😉


Muitas pessoas tem duas vidas. A vida que elas vivem e a outra vida que elas desejam viver. Entre essas duas existe a Resistência.

Você provavelmente tem a visão da pessoa que quer se tornar, o trabalho que poderia realizar, ou o futuro perfeito que você quer para sua família, mas por alguma razão, você não chega nem mesmo a dar uma chance para isso.

A Resistência é uma força ativa e implacável cujo único propósito é impedir que você se torne o seu melhor e que alcance seus maiores objetivos.

É seu trabalho descobrir como silenciar e ignorar isso.

Seu cérebro de resistência está fazendo seu trabalho quando:

  • Você continua adiando o trabalho da sua vida
  • Você está sendo muito auto-crítico sobre seu trabalho ou suas ideias
  • Você sente que seu trabalho nunca é bom o bastante para entregar, lançar ou publicar
  • Você sempre acha alguma desculpa para não fazer algo

É surpreendentemente fácil ganhar a vida e fazer uma carreira sendo mediano ou medíocre. A resistência iria preferir que você fizesse isso.

Steven Pressfield foi o primeiro a escrever sobre a resistência poucos anos atrás. A resistência é aquela vozinha atrás da sua cabeça dizendo para você se afastar, ser cuidadoso, ir devagar.

Aquela que diz a você que nunca vai funcionar, que se preocupa se as pessoas irão rir de você quando decidir fazer e compartilhar o trabalho da sua vida. O cérebro de resistência vai fazer quase de tudo para manter você longe de ser notado.

Neste livro, Linchpin — Você é Indispensável?, Seth Godin diz que o cérebro reptiliano é a fonte da resistência. Ele escreve:

“O cérebro reptiliano está com fome, com medo, com raiva e com tesão.
O cérebro reptiliano só quer comer e estar seguro.
O cérebro reptiliano vai lutar (até a morte) se for preciso, mas não vai desistir. Gosta de uma vingança e não tem problema algum em ficar com raiva.
O cérebro reptiliano liga para o que todo mundo está pensando, porque o status no grupo é essencial para sua sobrevivência.
O cérebro reptiliano não é meramente um conceito. É real, e está vivendo no topo da sua espinha dorsal, lutando por sua sobrevivência. Mas, claro, sobrevivência e sucesso não são as mesmas coisas.
O cérebro reptiliano é a razão por você estar com tanto medo, a razão por você não fazer tudo aquilo que pode, a razão por você não entregar tudo o que consegue.”
A Resistência vai dizer qualquer coisa para te impedir de agir. Vai fabricar, falsificar; seduzir, intimidar, e convencer você a desistir e continuar confortável.

A resistência é poderosa, tão poderosa que todas as ferramentas de atalho, para ganhar tempo e foco, são impotentes no seu caminho.

Steven Pressfield diz “a resistência por definição é auto-sabotagem”. No livro A Guerra da Arte — Supere os Bloqueios e Vença Suas Batalhas Interiores de Criatividade, Steven percebe que quanto mais resistência você experimentar, mais importante sua arte/projeto/empresa não manifestada é para você — e mais gratidão você vai sentir quando você finalmente fizer isso. Ele explica:

“A resistência irá te dizer qualquer coisa para te manter longe de fazer seu trabalho. Ela vai mentir, fabricar, falsificar; seduzir, intimidar, adular. A resistência é proteica. Vai assumir qualquer forma, se é isso que é necessário para enganá-lo. Vai racionalizar com você como um advogado ou como um ladrão de rua apontando uma 9mm pro seu rosto. A resistência não tem consciência. Ela vai prometer qualquer coisa para fechar um negócio, em seguida, te trair assim que virar as costas. Se você acredita na palavra da Resistência, você merece tudo aquilo que tem. A resistência está sempre mentindo e é cheia de besteiras.”
“A resistência é experimentada como medo; o nível de medo é igual a força da Resistência. Assim sendo, o quão apavorados nós nos sentimos em relação a um empreendimento específico, podemos ter certeza que esse empreendimento é importante para nós e para o crescimento da nossa alma. Esse é o motivo pelo qual nós sentimos tanto a Resistência. Se não significa nada para nós, não há Resistência alguma.”

Há demandas demais pela sua força de vontade e habilidades. E você provavelmente está reagindo a essas demandas 90% do tempo.

Se sua vida é o que acontece com você ao invés de o que você escolhe realizar, fazer ou criar, assuma o controle hoje e faça o necessário para viver sua vida nos seus próprios termos.

A biologia por trás da resistência

Sua amígdala é o motivo por toda a resistência que você sente. A amígdala é uma porção pré-histórica do seu cérebro, localizada próxima ao tronco cerebral.

É a parte do sistema linfático que é responsável por processar suas emoções. É responsável pelo medo, pela raiva, pela vingança, pelo sexo e pela sobrevivência.

Quando a amígdala é despertada, quando ela se sente ameaçada, quando há um senso de que as pessoas devem realmente rir de você, ela assume o controle. Ela se levanta em fúria e medo e desliga você.

Comece a lutar contra isso hoje

Você pode aprender a afrouxar essas desculpas e continuar se movimentando através delas não importa quanta resistência seu cérebro apresentar a você.

Como? Pra começar, por abandonar sua necessidade de ser perfeito(a) em tudo que você faz. Encontre algo tão importante que valha a pena enfurecer seus medos pré-históricos. E comece a agir agora, não ligando para o que o cérebro reptiliano lhe diz. Você é bom o suficiente para começar qualquer coisa que espera de si mesmo.

Quebre o seu projeto, a sua ideia, tarefa, atividade ou objetivo no maior número possível de sub-passos que você consiga imaginar.

Escreva todos os passos.

Priorize eles.

Volte para o primeiro item da sua lista e encontre o menor passo possível que você pode fazer para avançar.

Busque os passos de um bebê. Foque em pequenas vitórias. A ideia é mesmo fazer a menor ação para um objetivo maior.

Exemplo, se você está escrevendo um livro, escreva 200 palavras por dia.

Não busque pela perfeição. Não julgue seu trabalho. Apenas escreva.

Ernest Hemingway uma vez disse “Escreva bêbado; edite sóbrio”

Use a mesma mentalidade para qualquer coisa que você comece.

Se comprometa com o processo. Mesmo se for só por 20 minutos por dia.

Toda vez que você tropeçar, apenas se levante e comece a correr de novo. É assim que o progresso acontece.

Um trabalho em progresso empurra você a continuar trabalhando pelo seu objetivo.

Pessoas que são finalmente bem-sucedidas em começar e manter a maioria das suas mudanças de comportamento, normalmente fazem isso de forma gradual, com mudanças passo-a-passo.