Desenho de Ella Liebermann, 16 anos. Os filhos são arrancados dos braços de suas mães. Gueto de Bedzin, Polônia.

O Órfão

O último trem partiu com os vagões atulhados daquela gente esquálida e famélica

A sopa rala por certo não suprirá as necessidades básicas dos que ficaram para trás

O órfão permaneceu inconsolado de pé contra a cerca imaginando onde iria terminar

Aquela faixa de trilhos ainda morna recém descoberta em meio a neve branca.

No alojamento o ciciar intermitente dos lamentos era subitamente interrompido

Pelo shahar recitado entre os beliches ao amanhecer em tímido uníssono

Alguém mudo respirava fundo e não se submetia, determinado que estava em negar

Deferência alguma à um ser onipresente que admitia adversidades tamanhas.

Não tardou e o silêncio incômodo e a fria apatia daquele alguém despertou ódio e revolta

Exortaram-lhe pois efusivos o devido envolvimento afim de evitar outro castigo divino

Problemas bem maiores poderiam advir frente àquela conduta repreensível e vergonhosa.

Deveria sentir-se responsável pelo próprio infortúnio a ponto de pedir desculpas ao inimigo

Dissimular sua apatia e celebrar as dádivas de mais um dia num campo de extermínio

Para eximir-se de um mal maior do que ter os pais executados de forma impiedosa.

Like what you read? Give Thiago Victório a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.