Brasil: só a ficção consegue lidar com a realidade

A narrativa política do Brasil dos últimos anos é mais fantasiosa do que qualquer obra de ficção. Nos últimos dias, com gravações envolvendo o Presidente da República, a comparação primeira foi com House of Cards.

Tá puxado mesmo…

Os esquemas de Frank Underwood se mostram até simples quando comparados com o que os jornais brasileiros retratam em suas páginas.

Já houve também comparações com Star Wars e a trama para a chegada ao poder do Império. Tudo bem que a semelhança de Temer com o senador Palpatine ajuda muito nisso também.

Clichê sem tamanho, a frase “A Vida imita a Arte” demonstra a nossa necessidade de buscar um significado para os acontecimentos estapafúrdios nas obras ficcionais.

Jung já dizia que as histórias estão todas lá, no inconsciente coletivo, e que todos bebemos dessa fonte na tentativa de encontrar equilíbrio psíquico em nossas vidas. Dessa forma, vamos fazendo na realidade o que vimos nos livros, no cinema, nos quadrinhos; e usamos os fatos reais para basear as criações nessas e em outras plataformas.

E é olhando para situação brasileira atual que se torna possível pensar no futuro e relacioná-lo com outra obra. Essa, um pouco menos conhecida (infelizmente), mas que é assustadoramente possível. Falo de The Spider vs the Empire State.

.

.

Continue lendo no ARMAZÉM POP