Quem me livrará do corpo dessa morte?

Como é difícil se sincero comigo mesmo sobre mim mesmo. A falsidade para com nosso próprio ser no que se refere ao que realmente queremos ou somos.

Quando a religião se torna um álibi para a “santa” hipocrisia, quando a semelhança de Davi ao ser repreendido pelo profeta Natã levantou-se como um defensor da justiça para com o oprimido (2 Samuel 12), mas, ele mesmo foi um tirano ao mandar matar Urias por causa Bateseba. A que ponto pode chegar nossa capacidade de pecar? Somos capazes do que nem imaginamos. Ainda sobre a desventurança da miserabilidade do corpo dessa morte (o pecado que habita em nós) somos sujeitos a lutas e a derrotas.

Nos recusamos muitas vezes em nos olharmos no espelho, e como Tiago diz em sua epístola

Porque, se alguém é ouvinte da palavra, e não cumpridor, é semelhante ao homem que contempla ao espelho o seu rosto natural; Porque se contempla a si mesmo, e vai-se, e logo se esquece de como era. Tiago 1:23,24

Quantas vezes nosso coração exalta seus ídolos e se aparta do Deus vivo. Achando que sua suficiência está em outras coisas? Quantas vezes transferimos nossa bem-aventurança para coisas materiais, ou lugares, ou status ou fama ou reconhecimento. Quantas vezes queremos ser melhores não para a glória de Deus, mas, para nossa própria glória e autossatisfação?

Sondar nosso coração para sabermos nossas reais intensões e propósitos não é fácil. Na verdade não podemos fazer isso por nós mesmos, mas, as Escrituras nos dizem duas coisas importantes:

1 — É Deus e a Palavra revelada quem nos sonda

E vê se há em mim algum caminho mau, e guia-me pelo caminho eterno. Salmos 139:24

Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me, e conhece os meus pensamentos. Salmos 139:23

SENHOR, tu me sondaste, e me conheces. Salmos 139:1

Examina-me, Senhor, e prova-me; esquadrinha os meus rins e o meu coração. Salmos 26:2

2 — Nós devemos exercer exame sobre nós mesmos com base nessa Palavra

Examine-se, pois, o homem a si mesmo, e assim coma deste pão e beba deste cálice. 1 Coríntios 11:28

O autoexame não é autônomo, mas, fundamentado na Palavra de Deus.

Porque tudo o que dantes foi escrito, para nosso ensino foi escrito, para que pela paciência e consolação das Escrituras tenhamos esperança.

Romanos 15:4

Por isso o coração deve estar contrito diante da Palavra Sagrada. A prática do arrependimento, a confissão, o abandono do pecado é precedido por meditação e autoconfronto.

Porque eu conheço as minhas transgressões, e o meu pecado está sempre diante de mim. Contra ti, contra ti somente pequei, e fiz o que é mal à tua vista, para que sejas justificado quando falares, e puro quando julgares.
Salmos 51:3,4

Ao olhar para o coração através da Escritura, reconheço meus problemas com a ira, com o egoísmo, com a autocomiseração, a idolatria e todas as fraquezas e obras da carne que são suscitadas no coração.

O conhecimento correto de nós mesmos não pode vir de outro jeito senão pelo próprio Deus e Ele nos confrontando com sua Palavra.