Reforma, 500 anos. O que aprendemos com isso?

A Reforma Protestante foi um marco na história da humanidade. Verdade é que a Cristandade viveu um momento de trevas no que refere a sua fé nas doutrinas bíblicas. A tradição, o Papa, o magistério eram e podemos dizer que são superiores a própria Escritura. A ICAR ainda afirma que sem a igreja o mundo não teria a Bíblia. Tal afirmação de fato põe em cheque o que é o tal cristianismo na ICAR.

A Reforma foi um rompimento com o que ocorria nos corredores, camaras, magistério, tradição e papado corruptos de Roma. A Reforma foi um grande brado profético que chamava o mundo a verdade do Evangelho.

Foi do agrado do Senhor , por amor da sua própria justiça, engrandecer a lei e fazê-la gloriosa.
Isaías 42:21

O que fez Reforma? Em grandes proporções chamou a igreja de Roma, os homens e mulheres da Europa e do mundo ao reforno a Santa Palavra. Palavra essa que foi enaltecida por Deus e é santa. A Reforma bradou — Apenas as Escrituras. Dessa verdade procederam, somente Cristo, somente a graça, somente a fé. Verdades centrais para a mensagem dos reformadores do século 16. Tais verdades pregadas rendiam e rendem somente a Deus a glória.

O que aprendemos com a Reforma? O quanto entendemos sua importância? A Reforma chacoalhou o mundo.

O Deus soberano estava usando pequenos mortais para uma grande obra.

A Reforma foi uma obra do Espírito Santo, conduzindo o mundo em trevas a verdade do Evangelho (João 16.13).

O que apredemos com a Reforma? Devemos pensar nisso profundamente. A Reforma proclamou a verdade da Escritura e disse-nos historicamente que não pode haver unidade em detrimento da verdade. A unidade deve se dar pela verdade de Deus. Não devemos sacrificar a santidade da igreja por um prato de lentilhas. Deus seja misericordioso conosco, que a igreja brasileira entenda mais e mais essa fato:

A Reforma prezava não apenas uma liberdade da ICAR, mas pela verdade de Deus.

O Sola Scriptura não era o que chamaram depois de Nuda Scriptura. O Sola Scriptura não ignorou as confissões e credos, o Nuda Scriptura fez isso. Mas o Sola Scriptura bradou — A Bíblia e somente ela rege a igreja ela é a maior autoridade na Igreja. Ela é a Revelação de Deus escrita para o povo eleito e é juiz para todos os homens. As confissões e credos tem seu valor, mas não são as Escrituras, os símbolos de fé não são inspirados.

O que aprendemos com a Reforma? Muito! E devemos continuar a observar os grandes desafios que nossos antepassados na fé enfrentaram, pois ainda temos grandes desafios hoje, de fato em outro contexto, mas os cinco solas são urgentemente válidos para nós, pelo fato de serem Escriturísticos.

Rev. Thomas Magnum