Horizonte Deceptivo

(Texto de 15 de Abril de 2011)

Dá pra saber por que para alguns a realidade é tão dificil de se encarar?

Fico pensando comigo mesmo, por que muitas vezes a gente se desvia do obvio, disfarça o que já foi entendido, ignora o que foi subentendido, simplesmente pegamos o que era pra termos feito ou dito, não o fazemos, e jogamos fora?

A representação do que nos cerca muitas vezes não nos faz enxergar as proximidades como elas de fato são, logo, obviamente, ficamos focados ao longe, onde tudo parece ser algo divino, mas que realmente não é, porém, somos persistentes e vamos até o longe, e embora tenha sido muito custoso chegar lá, foi em vão e para voltarmos é uma tortura, e muitas vezes não é possivel voltar sozinho…

Nessas horas, as coisas as quais estavam por perto em tempos passados, e que eram erroneamente representadas como normais e sem graça, mostram — se coisas realmente boas, coisas as quais não pensam duas vezes antes de te ajudarem a voltar ao lugar que pertencemos. Uma vez de volta, ficamos gratos, e nos sentimos meio egoistas por largarmos tudo o que é próximo a nós por algo que parecia ser ideal, mas era apenas uma representação utópica.

Independente de termos sido ingratos ou não com quem ou o que nos rodea todos os dias, e nos acompanha, é sempre bom saber que eles estão aqui para nos confortar quando voltarmos de longe acabados por nossas representações ilusórias e nossa “inocência”. Pois é, acho que fui pra muito longe, mas to voltando gente!

-Thoto

Dedico para todas as pessoas as quais de uma forma me ajudam a “voltar” dos penhascos em que eu me jogo!

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.