Agilidade em casa: kanban e retro para moradia compartilhada

por Paula Ribas

Já falamos aqui sobre o uso do kanban para gerenciar tarefas do dia a dia, planejar viagens, priorizar leituras e manter as séries em dia. Além de ser um ótimo aliado para a organização pessoal, o método é muito útil também quando trabalhamos em times — por isso é tão difundido no desenvolvimento de software.

A representação visual do que precisa ser feito, o que está em andamento e o que já foi concluído, além de funcionar como um recurso eficaz para planejamento e controle, também facilita o compartilhamento e a comunicação em grupo. E é isso que faz do kanban um ótimo aliado para quem divide a casa com colegas ou familiares, e também para casais que moram juntos.

O quadro kanban da casa

Quem mora junto não divide apenas o mesmo teto: também tem contas a serem pagas, compras a serem feitas, problemas a serem resolvidos e decisões a serem tomadas. São muitas responsabilidades a serem divididas e qualquer falha de comunicação pode provocar desentendimentos.

Mas não era você que ia pagar o condomínio esse mês?

Por que ninguém avisou que o leite tinha acabado?

Eu fiz a faxina semana passada, quem vai fazer essa semana?

Vamos trocar a Internet ou não? Quem pode ficar responsável por isso?

E se a gente colocasse todas essas coisas em um quadro kanban?

Para quem divide a casa — e as responsabilidades—, criar um quadro kanban com posts-its em uma parede, mural ou até mesmo na geladeira é uma forma eficiente de deixar visível o que precisa ser feito e também de distribuir as tarefas sem sobrecarregar ninguém.

Post-its com nomes funcionam bem para identificar quem vai fazer o quê.

Para cartões de compras ou contas, uma boa ideia é adicionar post-its com os valores gastos, assim todo mundo fica ciente de quanto e para quem deve pagar.

É claro que o quadro kanban sozinho não garante que a divisão e a execução das tarefas sejam bem feitas. A comunicação precisa ser eficiente e o processo deve ser melhorado constantemente. Mas como fazer isso?

Hora da retro

A retrospectiva — ou "retro" para quem tem intimidade — é o momento de celebrar o que deu certo, avaliar o que não funcionou tão bem e pensar em ações para melhorar o processo. A ideia da retro é marcar o final de um ciclo, que pode ser de uma semana ou um mês, dependendo de como funcionar a dinâmica da casa.

A mecânica é bem simples: uma coluna para listar o que funcionou bem, uma coluna para listar o que pode se melhorar e uma coluna para listar ações que podem ser tomadas para que as coisas funcionem melhor no próximo ciclo.

Na primeira parte da retro, apenas as duas primeiras colunas devem ser preenchidas. Nessa etapa, cada pessoa adiciona seus cartões individualmente. Vale ressaltar que o objetivo da retrospectiva não é apontar erros, por isso não é necessário identificar responsáveis pelas coisas que não funcionaram bem.

O primeiro objetivo da retro é celebrar o que foi legal, ou seja, valorizar e comemorar os cartões da primeira coluna. Em seguida, é hora de avaliar os cartões da segunda coluna e pensar o que pode ser feito para melhorar.

As ações devem ser pensadas coletivamente e é interessante definir representantes para cada cartão adicionado. Essas pessoas serão responsáveis por garantir que as ações definidas aconteçam no próximo ciclo.


Com poucos minutos de reunião na semana, é possível deixar todo mundo da casa ciente do que está acontecendo e evitar desentendimentos e falhas de comunicação.

Experimente a combinação kanban + retro em casa e conte para a gente como foi!