Isso não a impediu de, aos 24 minutos deste vídeo, se caraterizar como líder/organizadora do projeto. Michael Wasserman, o real idealizador do Touchless, talvez não gostaria de saber que uma autora brasileira de livro de auto-ajuda está tomando crédito por sua invenção.
Bel Pesce e o empreendedorismo de palco: porque a Menina do Vale não vale tanto assim
Izzy Nobre
3.8K370

Cara, conheci a figura da Bel algumas semanas antes, e, assim como muitos, achei uma ideia de m**** esse financiamento de hamburgeria. Agora, o exagero deletério da imagem dela no seu discurso é o oposto harmônico da inflação que ela faz de si, onde ambos me parecem errados e a verdade está no meio do caminho (para me aproximar de uma metáfora que você usa no início).

Vendo o VÍDEO TODO da palestra dela no Etapa, e não só o que acontece aos 24 min como a maioria vai fazer, fica claro que ela não mentiu, apesar de se inflar. Ela fala aos 27' que era estagiária nessa época, isso ela já até havia falado, e ela cita que teve 1 ideia de algo já começado e correu atrás, e não vejo nenhuma inconsistências nela desengavetar um projeto, ter alguma influência e se sentir dona daquilo, mesmo sem ser. Empresas americanas tem MUITO FORTE o conceito de “own it”, onde você se sente dono até da empresa e isso é valorizado. Ela, diferente de pirâmides e empreendedorismo de palco (ambos detestados por mim também) tem sim inteligência, parece ter boas ideias e está tocando uma empresa baseada num sonho dela. Ela é absurdamente nova, ficou famosa e não soube lidar 100%, apesar de não ter feito feio, visto a mídia que tem. Não acho que ela é um Jobs ou Zuckerberg, mas ela tem um sonho e está trabalhando nisso. Agora ela está mais madura que no vídeo de 3,5 anos atrás e terá que ajustar a imagem dela depois dessa pataquada da hamburgeria, vamos ver se será capaz, e daí terá meu respeito. Veja, ela gravou a palestra em 2013, aos 23 – 24 anos, após uma fama que não esperava, você vê claramente que ela está indo pela emoção no discurso, não pela má fé ou péssima índole dos exibicionistas de pirâmides financeiras e pastores de igreja, que usam da emoção dos outros para comover e se beneficiarem do discurso pseudo-intelectual que fazem. É isso ;-)

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.