Estava chovendo…

Estava chovendo…
E tudo aquilo que aquele homem acreditava estava tão perdido que ele não mais entendia o que se passava ao seu redor…

O que faziam aquelas pessoas na rua? buscando algo que não pode ser conseguido, pelo simples fato de nao existir?

Querendo uma vida que não podem alcançar: "um mundo traído e que traiu a todos"!

Por muito tempo ele esteve procurando algo, esperando algo que não podia conseguir… Não no mundo “dos outros”…

Por isso ele anda na chuva, sozinho.

E se pode notar um sorriso em seus lábios… Um leve brilho em seus olhos…

Porque apesar de tudo aquilo em que ele acreditava estar perdido, ele conseguiu pelo menos para si a felicidade, de uma forma inusitada: criando seu próprio mundo, fechado do mundo dos outros.

Um mundo em que ele já esteve antes, mas que resolveu sair para tentar fazer os outros verem que as coisas poderiam ser diferentes.

Não conseguindo ele voltou, reconstruiu seu espaço singular e secreto. E se colocou novamente em sua confortável poltrona no alto da mais alta montanha, vendo a imensidão do universo de um ponto privilegiado.

Vendo os pássaros voando ao longe, o sol nascendo e se pondo no horizonte, a brisa leve no seu rosto, o calor suave na palma de suas mãos: O toque divino!

E enquanto ele caminha na chuva, todos que o olham notam que aquele pode ser talvez o único ser realmente feliz no universo! Só não conseguem entender porque…

…e ninguém tem coragem de perguntar!

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Vladimir Malaquias’s story.