How to save a life — Como salvar uma vida

https://www.youtube.com/watch?v=DF0zefuJ4Ys

Estava ouvindo essa música, que trata de uma amizade perdida e de uma tentativa de reconciliação e lembrei algumas coisas…

A primeira delas é que nenhum de nós, por melhor que seja consegue salvar uma vida: Só existe um nome pelo qual importa que sejamos salvos. A segunda é que eu também perdi uma amizade e nem consegui tentar reconciliar. Tenho sofrido com isso. A terceira lembrança vem do somatório das primeiras duas: ao buscar a reconciliação, de certa forma eu ganho meu amigo. Quando acontece o arrependimento, ganho uma vida.

Se eu quiser ganhar minha vida, eu perco. Se me perder para ganhar outros, eu ganho. A chave da salvação está na entrega voluntária e consciente. O Senhor Jesus entregou sua vida. Ele ganhou para Si todos aqueles pelos quais se derramou. Ele diz que tal qual sua atitude, devo dar minha vida pelos meus.

Enquanto a caminhada segue na busca de objetivos pessoais, metas, propósitos individuais, será vazia e insignificante. Celebrar uma vitória sozinho é o mesmo que ter sido derrotado. Enquanto nossos interesses estiverem desencontrados da vida em comum que temos com nossos amigos e familiares, colegas de trabalho, o único resultado será a disseminação do ego inchado, a doença da nossa época, o egoísmo. E o contágio se dá pela proximidade. Quando você deixa seu ego ocupar o espaço dos outros, o ego deles incha também para se proteger. A doença se alastra de forma rápida, como um incêndio numa floresta em um dia quente e seco.

De que adianta o homem ganhar o mundo inteiro e perder sua alma?

Morrer para si mesmo, para seus interesses pode significar abdicação temporária do conforto, do prazer, da satisfação das necessidades do ego. Mas essa entrega traz consigo, de forma extravagante, outro tipo de satisfação, outro nível de prazer, mas nenhum conforto além do que você entrega aos outros.

Você busca a felicidade? Nunca vai encontrar! Você busca fazer alguém feliz? Mesmo que não consiga, será mais feliz do que jamais poderia imaginar. Parece tão simples. Está descrito de forma tão abundante nas Sagradas Escrituras, na vida dos santos, na vida do Mestre. Quer ser feliz? Faça alguém feliz.